A valorização do artesanato como setor econômico gerador de riqueza

Prefeitura apresenta linha de crédito a juros baixos para consolidar o trabalho dos artesãos campistas

Por O Dia

Marcel Cardoso, vice-presidente da Codemca, apresenta programa de linha de crédito para os artesãos campistas
Marcel Cardoso, vice-presidente da Codemca, apresenta programa de linha de crédito para os artesãos campistas -
Campos — O trabalho de artesanato é visto, muitas vezes, como um hobbie, uma ocupação menor que ajuda na complementação de renda de pessoas sem outras possibilidades. Desconstruir essa visão e buscar consolidar a atividade como um setor econômico do município é o objetivo da linha de crédito para os artesãos disponibilizada pela Companhia de Desenvolvimento do Município de Campos (Codemca), diz seu vice-presidente, Marcel Cardoso.
Na noite de terça, no Museu Histórico de Campos, Cardoso apresentou o projeto, criado em 2017, para um grupo de trabalhadores interessados em aderir ao Economia Solidária, que financia pequenos negócios a juros baixos. Os recursos vêm do Fundecam (Fundo de Desenvolvimento de Campos). Seu presidente, Rodrigo Lira, esteve presente para ajudar no detalhamento da linha de crédito.
“A Codemca auxiliará os profissionais na elaboração dos projetos e acompanhará o andamento das propostas. Trabalhamos para acabar com a ideia de que artesanato é passatempo. É uma atividade geradora de renda”, ressalta Cardoso.
Marcel Cardoso, vice-presidente da Codemca, apresenta programa de linha de crédito para os artesãos campistas - Tarcísio Nascimento/Divulgação prefeitura de Campos
Para isso foi criado o Viva o Artesanato, programa de incentivo que promove uma série de ações de valorização do setor, como a criação do Espaço do Artesanato no Farol de São Thomé.
“Idealizamos o projeto para incentivar essa vocação do município. Criamos um sistema de informação com todos os cadastros e técnicas dos artesãos locais. Também estamos montando um portal para vendas, em que qualquer pessoa poderá entrar em contato direto com os trabalhadores”, contou Cardoso.
Esse amplo cadastro contabiliza perto de 400 pessoas, com cerca de 80% mulheres. Desse total, 197 obtiveram a Carteira do Artesão, espécie de registro profissional da categoria. Mas o vice-presidente da Codemca estima que existam outras tantas centenas que ainda não foram cadastradas. “Estamos continuamente atualizando nosso banco de dados”, diz Cardoso.
Para ter direito ao crédito, é preciso a reunião de no mínimo duas pessoas, e um máximo de 10, e é possível solicitar R$ 3 mil por pessoa, até o teto de R$ 30 mil. Os empreendedores têm até três anos para quitar o financiamento, com carência de seis meses para iniciar os pagamentos das parcelas. Os juros são de 2% ao ano.

Galeria de Fotos

Marcel Cardoso, vice-presidente da Codemca, apresenta programa de linha de crédito para os artesãos campistas Tarcísio Nascimento/Divulgação prefeitura de Campos
Marcel Cardoso, vice-presidente da Codemca, apresenta programa de linha de crédito para os artesãos campistas Tarcísio Nascimento/Divulgação prefeitura de Campos

Comentários