Diniz reenvia à Câmara previsão do orçamento com redução de quase R$ 100 milhões

Após revisão, prefeito e secretários confirmam perda esperada de arrecadação do município, pela continuada diminuição no repasse dos royalties do petróleo

Por O Dia

A Secretaria de Fazenda de Campos prevê uma queda de arrecadação de R$ 100 milhões no orçamento de 2020
A Secretaria de Fazenda de Campos prevê uma queda de arrecadação de R$ 100 milhões no orçamento de 2020 -
Campos — O prefeito Rafael Diniz reenvia nesta segunda para a Câmara de Vereadores a nova previsão orçamentária para este ano em Campos. A nova Lei Orçamentária Anual (LOA) prevê uma queda de arrecadação do município, de acordo com a gradual perda nos repasses dos royalties do petróleo. A meta revisada é de pouco menos de 1,9 bilhão. Apenas no ano passado, a prefeitura recebeu menos R$ 211 milhões das indenizações pela exploração da Bacia de Campos, o que contribuiu para uma das piores arrecadações da história da cidade.
“Esperamos a análise da Câmara para que possamos abrir o orçamento de 2020. A necessidade de a peça orçamentária ser refeita ocorreu pela queda constante dos royalties, o que não era apontado no relatório da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis)”, explica a secretária de Orçamento e Controle, Marcilene Daflon.
Na última semana, Diniz e seus secretários revisaram toda a previsão para este ano, na preparação do documento para reenvio aos vereadores. Eles reafirmaram a queda de quase R$ 100 milhões da previsão inicial. Desses, R$ 64 milhões foram reduzidos em todas unidades gestoras do Município. O restante, R$ 34 milhões, foram retirados da reserva de contingência.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários