Proteção de moradores de rua contra o coronavírus é foco de plano de ação

População exposta ao risco terá novo abrigo provisório no Hospital Manoel Cartucho, com estrutura médica e de assistência social

Por O Dia

Assistentes sociais conversam com moradores de rua de Campos para oferecer recolhimento e passar orientações sobre prevenção ao coronavírus
Assistentes sociais conversam com moradores de rua de Campos para oferecer recolhimento e passar orientações sobre prevenção ao coronavírus -
Campos — População normalmente exposta a toda sorte de males, os moradores de rua de Campos vão receber um tratamento especial para sua proteção contra o novo coronavírus. A prefeitura colocou em ação nesta quarta um plano para esse grupo social, que contará com a criação de um novo abrigo provisório na ampla área do Hospital Manoel Cartucho para o isolamento de casos suspeitos, com cerca de 50 vagas. As abordagens serão feitas pelos assistentes sociais do município com apoio da Defesa Civil e agentes de saúde. A medida foi publicada no Diário Oficial nesta quarta.
“O abrigo vai seguir normas de restrição recomendadas neste momento , como distância entre os acolhidos, isolamento para pessoas que apresentem sintomas de coronavírus”, comentou a secretaria de Desenvolvimento Humano e Social, Pryscila Marins. “A nova estrutura contará com cuidadores, auxiliares de serviços gerais, profissionais de apoio e vigilância, auxiliares de cozinha, assistentes sociais e psicólogos”.
O Manoel Cartucho, que conta com um bosque com grande espaço verde, é administrado pela Santa Casa de Misericórdia. Pryscila se reuniu com o provedor e com o diretor da Santa Casa, os médicos Manoel Corraes e Cléber Glória, para acertar a parceria para a recepção dos moradores de rua. O novo abrigo vai passar por limpeza e começa a funcionar nos próximos dias.
“Não existe impedimento da nossa parte. No entanto, apresentamos algumas ponderações, pois nossa prioridade é proteger nossos doentes que já estão aqui na unidade”, disse Corraes.
A secretária também destacou o cuidado nas abordagens, e a preocupação em intensificar as orientações para higiene e prevenção ao covid-19 a essa população. Aqueles que apresentarem sintomas da doença vão se encaminhados às unidades de saúde preparadas para tal.
“Continuaremos fornecendo nesse novo abrigo provisório todos os serviços disponíveis no Centro Pop, com exceção das atividades em grupo, que estão suspensas durante esse período”, destacou Anne Caroline Cardoso, diretora do Departamento de Proteção Social Especial.
Rede de assistência — Além do novo espaço, a prefeitura tem uma rede de assistência para a população de rua formada por três abrigos para cerca de 60 pessoas: Lar Cidadão, Casa de Passagem, e Albergue Francisco de Assis.

Comentários