Operação 'Boi Garantido' apreende 300 kg de carne e derivados de origem clandestina em Campos

Fiscais encontraram carnes em avançado estado de deterioração

Por Bertha Muniz

Operação 'Boi Garantido' apreende 300 kg de carne e derivados de origem clandestina em Campos.
Operação 'Boi Garantido' apreende 300 kg de carne e derivados de origem clandestina em Campos. -

CAMPOS - Agentes de fiscalização da Defesa Agropecuária Estadual, Vigilância Sanitária Municipal e Polícia Militar (PM) apreenderam 300 kg de carne e derivados de origem clandestina nesta terça-feira (6) na localidade de Morro do Coco em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.

A operação, batizada de “Boi Garantido”, teve início nesta terça e, de acordo com os órgãos responsáveis, não tem data para terminar. A intenção é coibir a venda de produtos de origem animal que não possuam os registros necessários para comercialização.

Os produtos poderiam causar intoxicação alimentar tanto por agentes microbiológicos quanto por químicos, tais como: aditivos, conservantes e a própria matéria prima, sendo muitas vezes produzidos com material que deveria ser descartado. A operação tem como objetivo combater o comércio de carne clandestina na região.

Dentro dos açougues, mais irregularidades encontradas pelos técnicos da Defesa Agropecuária: processamento de carne seca clandestina, carne bovina e suína em avançado estado de deterioração, linguiça, queijos e banha suína de origem desconhecida.

"Estas ações, que tiveram início hoje, são importantes para retirar do mercado produtos impróprios para o consumo. Tudo o que foi recolhido foi inutilizado e destinado ao aterro sanitário do município. Os fiscais orientam os consumidores que somente comprem carne, seus derivados e qualquer produto de origem animal com a identificação de registro no S.I.M, S.I.E., S.I.F. ou S.I.S.B.I.", alertou o secretário de Estado de Agricultura, Marcelo Queiroz.

"A PM também acompanhou as ações, para dar segurança aos fiscais e atuar contra a suspeita do comércio de gado roubado, crime já relatado na região e flagrado em outras operações", explicou o superintendente da Defesa Agropecuária, Paulo Henrique de Moraes.

Outra operação, a de fiscalização em barreiras agropecuárias vem acontecendo há pelo menos três meses em todo o Estado, inclusive nas divisas com o Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo.

Comentários