Depois de toda a repercussão do caso Ivis, a mensagem chegou nas minhas redes sociais.
"É uma triste cena. Eu passei por isso e sei a dor que é. Meu marido fez pior e eu apanhei calada. Fico apavorada e chocada. Como dói, por dentro e por fora".
Publicidade
O desabafo, emocionante e também libertador, é da Márcia Cunha, de Padre Miguel. Ela, que vem de uma geração onde infelizmente as mulheres aguentavam as agressões caladas, hoje não tem medo de botar a boca no mundo e falar.
E é isso que a gente quer! Que toda a repercussão de casos como esses, faça com que Márcias, Pâmellas e muitas outras não se calem e denunciem os agressores, abusadores e covardões soltos por aí.
Publicidade
Márcia ainda disse: "Como eu gostaria de ter uma pessoa como você ao meu lado. Apanhei muito, sem defesa, sem ninguém, somente com o medo".
Bora colocar o Pingo no I...
Publicidade
Se depender de mim, agora ela tem! E todas aquelas que precisam de ajuda e voz, também! Vamos juntas?