Família, laboratório de humanização

Admiramos a beleza de cada momento familiar, vendo nele o lugar onde, gradualmente, aprendemos o significado e o valor das relações humanas

Por O Dia

A família é um grande dom, um presente de Deus que não quis nos abandonar à solidão de viver sem ninguém, sem desafios, sem morada. O sonho de Deus continua a se realizar nos sonhos de muitos casais que têm a coragem de fazer, das suas vidas, uma família.
Neste mês de agosto, o Papa Francisco colocou como intenção de suas orações as famílias. Na mensagem, o Santo Padre pede pelas famílias e que se reze por elas, para que possam se tornar escolas de verdadeiro crescimento humano, nas quais as pessoas possam aprender uma vida de oração e de amor.
Nós, cristãos, admiramos a beleza de cada momento familiar, vendo nele o lugar onde, gradualmente, aprendemos o significado e o valor das relações humanas. Aprendemos que amar alguém não é apenas um sentimento forte, mas uma decisão, um discernimento, uma promessa. Aprendemos a nos doar por alguém, e sabemos que isto vale a pena.
É inegável que as famílias sofrem com o ritmo da vida atual, o estresse, a organização social e o trabalho. Mas esses fatores não podem colocar em risco a possibilidade de opções permanentes. Se estes riscos se transpõem para o modo de compreender a família, esta pode se transformar em um lugar de passagem, onde uma pessoa vai quando lhe parece conveniente, e isto não está certo.
Temos que estar atentos ainda ao crescente perigo representado por um individualismo exagerado que desvirtua os laços familiares. Por isso, devemos sempre nos manter firmes na oração, com a certeza de que a nossa família é valiosa, desejada por Deus. Assim como o Papa Francisco, rezemos pelas famílias para que, graças a uma vida de amor, se tornem cada vez mais laboratórios de humanização.
Padre Omar é reitor do Santuário do Cristo Redentor do Corcovado

Comentários