Denúncia de violência contra idoso na palma da mão

Imobiliária disponibiliza aplicativo para receber queixas de maus tratos

Por Cristiane Campos

Administradora Renascença disponibiliza espaço em seu site para denúncias de violência contra o idoso
Administradora Renascença disponibiliza espaço em seu site para denúncias de violência contra o idoso -
O isolamento social imposto pela pandemia trouxe várias consequências, entre elas o aumento da violência contra o idoso. Para se ter ideia, de acordo com dados da Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, foram três mil denúncias em março, oito mil em abril e, em maio, o número saltou para quase 17 mil.

Atenta a esse triste cenário, a Renascença Administradora abriu um espaço para denúncias em seu Instagram (@admrenascenca) e também no site da imobiliária (admrenascenca.com). Além dos canais da imobiliária, vale lembrar que as denúncias também podem ser feitas pelo Disque 100.

Violência contra a mulher aumenta com a pandemia

A violência contra a mulher, infelizmente, também aumentou durante a pandemia, seja em condomínios ou em casas. De acordo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o número de feminicídios cresceu 22% nos meses de março e abril. Segundo o advogado especializado em Direito Imobiliário, Leandro Sender, o síndico, neste caso, não tem obrigação legal de denunciar. “Mas por uma questão de cidadania, de humanidade e de bom senso ele pode denunciar. Vale lembrar que pode ser, inclusive, uma denúncia anônima, a ser feita pelo síndico ou pelos moradores”, afirma.

O advogado criminal Wallace Martins complementa que a mulher em situação de risco deve procurar as delegacias para fazer a denúncia mesmo com o isolamento. Segundo ele, é possível conseguir uma medida protetiva que, em muitos casos, já diminui a vontade do agressor. “Importante falar também que hoje já é possível fazer a denúncia em farmácias via campanha lançada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).

A proposta é para que as vítimas mostrem um ‘X’ vermelho na palma da mão para que o atendente da farmácia possa identificar que se trata de uma denúncia e acionar a polícia”, explica Martins.

Comentários