Alerj vota porte de arma a agentes do Degase na próxima semana

Presidente da Casa diz que a polêmica proposta irá ao plenário na quarta-feira; promessa é de muito debate e sessão movimentada

Por PALOMA SAVEDRA

Votação de proposta provocará novas discussões
Votação de proposta provocará novas discussões -

Rio - Depois de provocar muito debate e polêmica no plenário da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), em outubro de 2018, o projeto de lei que garante porte de arma aos agentes do Degase será votado pelos deputados na próxima semana. Procurado pela Coluna, o presidente da Casa, André Ceciliano (PT), confirmou que a proposta, de autoria de Marcos Muller (PHS), será votada na quarta-feira, 10 de abril. 

A medida, reivindicada por parte da categoria, não prevê que os agentes fiquem armados dentro das unidades do departamento, onde ficam os internos, mas sim fora. Os servidores alegam necessidade de "defesa pessoal" por sofrerem ameaças e "correrem riscos" fora do trabalho. Mas o assunto promete novas discussões, além de críticas dentro e fora das galerias da Alerj.

Governo não enviou texto

A ideia do governador Wilson Witzel era de mandar um novo projeto para a Alerj, também para afastar questionamentos de vício de iniciativa. Mas depois de articulações feitas pelo líder do governo, Márcio Pacheco (PSC), e dos próprios agentes do departamento, houve uma reviravolta.

Articulação

Com a intenção de acelerar a votação da matéria, a base aliada decidiu 'aproveitar' o texto que já estava na Casa, tanto que alguns representantes do Sind-Degase estiveram nesta quarta-feira na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Alerj. Na ocasião, foram apreciadas emendas (apresentadas ainda no ano passado) e o colegiado não acolheu os aditivos ao texto. 

Não restam dúvidas de que no dia da votação serão apresentados destaques no plenário. 

Comentários