"Postos de perícia do Estado do Rio agonizam", diz representante de policiais civis

Presidente do sindicato da categoria opina sobre novas convocações de papiloscopistas. Para ele, reforço vai "oxigenar institutos"

Por PALOMA SAVEDRA

Acadepol
Acadepol -

A convocação de 200 concursados para o cargo de papiloscopista da Polícia Civil do Estado do Rio vai ajudar a desafogar a demanda da instituição, que agoniza com o déficit de pessoal. O grupo será chamado no Diário Oficial desta quarta-feira para as matrículas na Academia Estadual de Polícia Sylvio Terra (Acadepol).

Os concursados vêm acompanhando diariamente as conversas que parlamentares da Alerj e até delegados têm tido com o governo para acelerar as convocações. Essas tratativas já vinham sendo feitas desde a gestão anterior. O presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sindpol), Marcio Garcia, destacou que as convocações vão "oxigenar institutos".

"A convocação desses 200 peritos papiloscopistas para a Acadepol é a vitória de muitos anos de luta do Sindpol e Colpol, junto com a comissão dos excedentes (dos concursos). Não é de agora que cobramos a reposição dos quadros da nossa polícia técnico-científica e esses novos policiais virão oxigenar os institutos e postos de perícia que estão agonizando pela falta de pessoal", opinou Garcia.

Matrículas

As matrículas começarão na quinta-feira, ou seja, os concursados devem ficar atentos. "Os policiais vão reforçar a investigação, especialmente em tempos de reconhecimento facial e de câmeras que vão ajudar no monitoramento. Os papiloscopistas participam do trabalho de identificação facial. É nossa polícia indo além, ao encontro da tecnologia", disse Witzel.

Comentários