Witzel vai sancionar projeto que garante mulheres ocupando vagas ociosas na PM

Proposta será votada nesta terça-feira pela Alerj; no concurso de 2014 para a PM houve mais candidatas aprovadas que o número de vagas — o mesmo não ocorreu para os homens

Por PALOMA SAVEDRA

Governador Wilson Witzel
Governador Wilson Witzel -

O governo Witzel vai sancionar o projeto de lei que garante a possibilidade de mulheres aprovadas em concursos para as polícias Civil e Militar e do Corpo de Bombeiros ocuparem vagas remanescentes destinadas ao sexo masculino. Fontes da Coluna garantiram que, apesar de a Casa Civil não ter ainda emitido parecer sobre o assunto, o Executivo é favorável à medida.

A proposta, do presidente da Alerj, André Ceciliano (PT), será votada nesta terça-feira, em discussão única, como a Coluna antecipou no sábado. Como no concurso de 2014 para a PM houve mais candidatas aprovadas que o número de vagas — e o mesmo não ocorreu para os homens —, a comissão de concursados articulou com Ceciliano essa proposta.

PMs ganham voz 

Aliás, foi criada na Alerj a Frente Parlamentar em Defesa da Polícia Militar, presidida pelo deputado e sargento reformado da PM Renato Zaca (PSL). A frente terá como foco temas considerados "emergenciais", como a revisão de escalas, de atos administrativos discricionários e de condições de trabalho; discussão do RAS compulsório; regulamento disciplinar e condições de trabalho nos hospitais da PM.

"Vamos levar sugestões ao governo e cobrar efetivamente por mudanças que valorizem e deem pelas condições de trabalho ao policial militar", disse Zaca, que compõe a frente junto com Marcelo do Seu Dino (PSL), Bruno Dauaire (PRP), Rosenverg Reis (MDB), Capitão Nelson (Avante), Rosane Feliz (PSD) e subtenente Bernardo (Pros). 

Comentários