Secretário de Educação garante pagamento de quinquênio a professores do estado

Decreto de hoje será tornado sem efeitos no Diário Oficial de sexta-feira

Por PALOMA SAVEDRA

Secretário Pedro Fernandes disse que benefício terá ajustes para se adequar à Constituição
Secretário Pedro Fernandes disse que benefício terá ajustes para se adequar à Constituição -
O governo do estado vai publicar, nesta sexta-feira, um ato tornando sem efeitos o decreto que saiu hoje no Diário Oficial que considera inconstitucional o quinquênio pago aos professores. E, para garantir o pagamento do benefício sem ferir a Constituição Federal, a Secretaria de Educação vai criar uma nova roupagem ao quinquênio: criará mais um requisito para concedê-lo aos educadores.

A Constituição impede a concessão de mais de um benefício funcional baseado somente no tempo. E os professores do estado têm direito ao triênio e ao quinquênio (que, na verdade, é uma progressão por cinco anos de tempo de serviço). Por isso, o decreto publicado hoje - baseado em parecer jurídico da gestão passada - citou "vício de constitucionalidade".

A promessa foi feita pelo secretário de Educação, Pedro Fernandes, à Coluna. "Vamos manter o benefício com os ajustes necessários para atender à Constituição, como outros órgãos estaduais fizeram", declarou Fernandes.

A criação desse novo requisito já está sendo estudada por um grupo de trabalho montado pela pasta.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários