Câmara retira urgência de proposta que transforma empregados da Comlurb em estatutários

Projeto, de autoria do governo, estava trancando a pauta da Casa legislativa

Por O Dia

Funcionários da Comlurb acompanharam sessão na Câmara dos Vereadores
Funcionários da Comlurb acompanharam sessão na Câmara dos Vereadores -
No centro de uma polêmica, a proposta do Poder Executivo que modifica o regime jurídico dos empregados da Comlurb admitidos antes de 1988, transformando-os em estatutários, saiu nesta quinta-feira do regime de urgência na Câmara dos Vereadores do Rio, a pedido do próprio líder do governo Crivella na Casa, Dr Jairinho (MDB). O projeto estava trancando a pauta de votações desde 26 de fevereiro e, sem a urgência, outros textos serão analisados pelos parlamentares. 
O Projeto de Lei Complementar nº 146/2019 mobilizou empregados da companhia de limpeza, que acompanharam a sessão na galeria da Câmara. O texto, na prática, que retira do INSS cerca de 2,4 mil trabalhadores, incluindo-os no Funprevi (Fundo Especial de Previdência do Município).
Como esses trabalhadores não contribuíram para o fundo previdenciário, uma ala governista se opõe ao projeto, apesar de o mesmo ser de autoria da gestão Crivella. 
O líder do governo, porém, defendeu a proposta e disse que não haverá impacto na previdência municipal. 
"Com certeza esse é um projeto que o governo apoia e que não vai causar rombo à previdência municipal. Mas em respeito às comissões dessa Casa e às sessões que foram trancadas, eu requeiro a retirada de urgência do projeto", declarou Dr. Jairinho no plenário.
Homenagem a ministro 
Na mesma sessão, os vereadores aprovaram por 20 votos a 10 o requerimento do vereador Major Elitusalém (PSC), que confere o Conjunto de Medalhas de Mérito Pedro Ernesto ao ministro da educação, Abraham Weintraub.
Houve protesto, e parlamentares contrários à homenagem seguraram placas com dizeres "imprecionante", relembrando quando o ministro escreveu a palavra impressionante com a grafia errada. 

Comentários