Bolsonaro anuncia suspensão de dívidas e auxílio de R$ 85 bi a estados e municípios

Presidente divulgou medidas em seu Twitter

Por O Dia

Jair Bolsonaro defendeu o fim do confinamento em massa e chamou a Covid-19 de
Jair Bolsonaro defendeu o fim do confinamento em massa e chamou a Covid-19 de "resfriadinho" -
O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta segunda-feira, na sua conta no Twitter, um pacote de auxílio financeiro aos estados e municípios no valor total de R$ 85,8 bilhões. A ajuda envolve novos empréstimos, suspensão do pagamento de dívidas pelos entes e transferências adicionais de recursos. 
De acordo com Bolsonaro - que está reunido neste momento com governadores de estados do Nordeste - serão editadas duas medidas provisórias, com vigência imediata, para garantir repasses imediatos aos fundos de saúde estaduais e municipais.
Seguro

O governo vai criar ainda um "seguro" contra a queda na receita de estados e municípios durante a crise causada pela pandemia. Ao longo de quatro meses, serão liberados R$ 16 bilhões para recompor os repasses aos Fundos de Participação de Estados (FPE) e Municípios (FPM).

O valor está abaixo do solicitado pelos governos regionais. Só os estados pediam um repasse mensal de R$ 14 bilhões, mas esse montante já havia sido descartado pelo secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, na semana passada.
Facilitação de crédito

O presidente afirmou ainda, sem detalhar, que o governo promoverá "operações com facilitação de créditos", somando o total de R$ 40 bilhões.
Suspensão de dívidas no valor total de R$ 12,6 bi

Outras medidas serão a suspensão das dívidas de estados com a União, em um valor de R$ 12,6 bilhões, e a renegociação de débitos de estados e municípios com bancos, somando R$ 9,6 bilhões.

Bolsonaro citou ainda uma recomposição de R$ 2 bilhões no Orçamento da área de Assistência Social.

Com Agência Estadão Conteúdo

Galeria de Fotos

Jair Bolsonaro defendeu o fim do confinamento em massa e chamou a Covid-19 de "resfriadinho" TV Brasil
Presidente Jair Bolsonaro Carolina Antunes / Presidência da República

Comentários