Prefeitura do Rio garante salários até o 5º dia útil apesar da crise financeira

Pandemia do novo coronavírus impactou as contas do município; no entanto, questionado, governo assegurou que pagamentos serão em dia

Por PALOMA SAVEDRA

Sede da Prefeitura do Rio de Janeiro, na Cidade Nova
Sede da Prefeitura do Rio de Janeiro, na Cidade Nova -

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a equipe econômica da Prefeitura do Rio de Janeiro tem feito uma 'força-tarefa' para amenizar os impactos no caixa. O governo municipal garante que tem adotado algumas medidas nesse sentido. Afirma também que, mesmo diante da crise, o pagamento dos salários de servidores deverá ser efetuado até o quinto dia útil do mês seguinte ao trabalhado, seguindo o Decreto 47091 de 2020.

A prefeitura destacou que esse calendário está mantido não somente para funcionários da ativa, mas também para aposentados e pensionistas.

"Os efeitos da crise ainda estão sendo analisados, no entanto, há uma série de medidas em curso para diminuir o impacto da queda de receita", informou o governo Crivella.

E acrescentou que a Secretaria Municipal de Fazenda enviou para a Câmara dos Vereadores alguns projetos de lei que buscam "a manutenção do índice de adimplência dos contribuintes nesse momento de crise, com a oferta de descontos e alongamentos de pagamentos dos tributos municipais".

A suspensão temporária dos pagamentos das parcelas de dívidas do Município do Rio com a União também foi apontada como uma medida importante que garante o alívio de caixa mesmo em período de crise.

Somado a isso, governistas afirmam que as secretarias estão com o 'dever de casa' de cortar gastos. E a prefeitura orientou as pastas a priorizarem despesas que estejam relacionadas ao enfrentamento da pandemia da covid-19. "Esse conjunto de medidas visa dar mais fôlego ao caixa Municipal não só para o enfrentamento da crise, mas também para permitir o pagamento dos salários dos servidores", assegurou o governo.

 

Comentários