Entidades de servidores planejam campanha contra reforma e fim da estabilidade

Categorias apelidaram a proposta do governo federal de 'PEC da rachadinha'; segundo o funcionalismo, perda da estabilidade abrirá caminho para contratações políticas nos órgãos públicos

Por O Dia

Trabalhos do funcionalismo serão no Congresso e também em campanhas de 
"conscientização dos cidadãos"
Trabalhos do funcionalismo serão no Congresso e também em campanhas de "conscientização dos cidadãos" -
Entidades representativas do serviço público — nos estados e na União — se reuniram ontem e definiram estratégias para tirar do papel uma campanha contra a reforma administrativa, proposta pelo governo federal.
Os servidores prometem atuar no Congresso e também na conscientização da sociedade. O principal item criticado é o fim da estabilidade, que, segundo eles, pode abrir brechas para perseguições.
Por conta dessa possibilidade, as categorias apelidaram o projeto de ‘PEC das rachadinhas’. Segundo o funcionalismo, a perda da garantia de permanência vitalícia no cargo abre caminho para contratações políticas nos órgãos públicos.
A estabilidade — o funcionalismo ressalta — é a garantia do cumprimento da lei pelo servidor mesmo que existam pressões de governantes para agir de forma contrária. Participaram da reunião Fenajud, Fenafisco, Anfip, Anafe, Sindfisco Nacional, Fenamp e outros.

Comentários