WhatsApp se tornou porta de entrada para disputar uma vaga de trabalho

Empresas interagem com perguntas e até chamada de vídeo

Por Marina Cardoso

EMPREGOS
EMPREGOS -

Rio - Conhecido popularmente como um aplicativo para troca de mensagens instantâneas e chamadas de voz e vídeo, o WhatsApp se tornou uma ferramenta para além da conversa entre amigos e familiares. Empresas estão utilizando o app para fazer o recrutamento de candidatos e selecionar profissionais para ocuparem os cargos em aberto. 

Uma delas que investiu nesse modelo de seleção de pessoal é o Burger King Brasil, que faz o processo inicial no aplicativo. Além disso, a ferramenta também funciona como um banco de currículos. Ao encontrar alguma oportunidade que tenha interesse na companhia, o candidato pode cadastrar o currículo por meio do WhatsApp (11) 94317 6360.

"A partir desse momento, os dados já são enviados para o banco de currículos, onde cada restaurante e também o time corporativo terão acesso a uma base de candidatos, podendo então filtrar os que mais se adequam ao perfil com os requisitos básicos para cada função", afirma Marcia Baena, vice-presidente de Gente & Gestão da companhia.

Nesse cenário, quando um candidato se enquadra em uma vaga, recebe perguntas básicas sobre seu perfil, que pode levá-lo a um encontro presencial pré-avaliado com os gestores.

Na consultoria de Recursos Humanos Adecco, o WhatsApp compartilha informações sobre vagas em grupos criados pela empresa e para agilizar a comunicação com candidatos. 

"As oportunidades são divulgadas com mais facilidade e o app facilita o contato, com velocidade da informação e proximidade. Usamos o app para fazer entrevistas via vídeo conferência, o que elimina a necessidade de descolamento para entrevista convencional", explica Kerullen Sá, coordenadora de Serviço e Qualidade da empresa.

Sem falar que especialistas falam na acessibilidade para os candidatos. "No Brasil, 61% dos brasileiros são usuários ativos. É uma ferramenta acessível", explica Marcia. 

 

Dicas ao disputar vaga pela plataforma

Como a seleção pelo WhatsApp é um processo mais informal, especialistas dão dicas para se certificar de que estão competindo para uma vaga que não seja 'fake'. "É importante conferir as formas de candidatura e se os dados solicitados são condizentes com os mais comuns em um anúncio de emprego, além de perguntar a quem divulgou a vaga se conhece a fonte da divulgação", diz Débora Nascimento, diretora da Associação Brasileira de Recursos Humanos do Rio de Janeiro (ABRH-RJ).

Caso persistam as dúvidas, buscar site e redes sociais para ver se há menção do processo, antes de se descolocar para entrega de currículo. Há casos em que a conversa é feito pelo chatbot (assistente virtual). É importante se atentar para o selo de verificação ao lado do nome da empresa. 

Também é importante lembrar que o contato só deve ser mantido em horário comercial. O diretor Nacional da Prepara Cursos, Guilherme Maynard, também lembra que o candidato deve preparar o cenário e verificar a ferramenta antes da conversa.

"Testar a ferramenta com antecedência e procurar um ambiente calmo e organizado, por exemplo, em caso de vídeos", orienta.

Além disso, é importante cuidar da foto no app, pois é o cartão de visitas. Por isso, evite fotos sem camisa, de biquíni ou que possam expor a imagem de maneira negativa. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários