Evento online busca desenvolver soluções de combate ao coronavírus

Hacking.Help reunirá alunos, professores e mentores de toda área do conhecimento de países de língua portuguesa

Por O Dia

Rio - O Hacking.Rio lançou o primeiro hackathon online para reunir e desenvolver soluções para os problemas que a sociedade enfrenta devido à pandemia do novo coronavírus. O evento ocorre de sexta a domingo e terá cerca de 48 horas. Os participantes terão acesso a mentorias e conteúdos educacionais exclusivos para aperfeiçoar as iniciativas até a entrega de um Mínimo Produto Viável (MVP).
No evento, participam da iniciativa alunos de ensino Médio, Técnico e Superior de qualquer área de conhecimento e de todos os países de língua portuguesa, como Portugal, Angola, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Macau, inclusive aqueles que não possuem grande familiaridade com tecnologia. A iniciativa também terá mentores técnicos com experiência em hackathons e professores que nunca participaram de um evento como esse.
“Nós queremos capacitar profissionais que ainda não tiveram contato com essa metodologia para que possam aplicá-la em outros projetos educacionais que queiram desenvolver futuramente. De forma que gere muitos benefícios futuros”, diz Lindalia Junqueira, fundadora e diretora executiva do Hacking.Rio e da Ions Innovation.
Serão seis grupos com diferentes verticais voltados para o combate à covid-19: saúde, educação, empregabilidade, assistência social, cooperativismo e logística, sendo que cada um terá seu próprio hackathon que contará com o suporte de mentores técnicos e especialistas do respectivo segmento. Cada grupo terá uma premiação de R$ 5 mil, sendo R$2.500 para o primeiro, R$ 1.500 para o segundo e R$ 500 para o terceiro, somando um total de R$ 30 mil em prêmios para alunos participantes. Ainda haverá os prêmios: Melhor Mentor e Melhor Universidade.
“O nosso objetivo é gerar impacto social e educacional, para que os jovens, que neste momento estão em casa, possam desenvolver soluções que de fato tenham impacto”, explica Lindália.
“Esta é uma grande oportunidade para que as empresas fomentem a inovação por parte dos estudantes em todo o mundo com o nobre objetivo de desenvolver soluções que poderão ser adotadas para contribuir com uma causa única: o enfrentamento desta pandemia global de coronavírus. Vale destacar que as iniciativas também poderão ser aproveitadas pelas empresas que participarão do hackathon”, diz Renata Loyola, superintendente de Gestão da Inovação da MAG Seguros, companhia que apoia o evento.

Comentários