Candidatos a deputado pelo PSL rasgam homenagem à Marielle Franco

Caso gerou revolta nas redes sociais. Diversos internautas repudiaram a atitude dos candidatos

Por O Dia

Imagem viralizou nas redes sociais após ser publicada na tarde de quarta-feira
Imagem viralizou nas redes sociais após ser publicada na tarde de quarta-feira -

Rio - Os candidatos a deputado estadual e federal, Rodrigo Amorim e Daniel Silveira, ambos do Partido Social Liberal (PSL), quebraram uma placa em homenagem à vereadora Marielle Franco (Psol), assassinada em março deste ano.

Em um vídeo que circula nas redes sociais, os dois aparecem de madrugada na Cinelândia, trocando a honraria pela do militar Marechal Floriano, que dava nome à praça. Em outra ocasião, Amorim e Silveira aparecem em cima de um carro de som, com a placa rasgada. Na imagem, Amorim aparece com uma camiseta com o rosto do candidato a presidência Jair Bolsonaro (PSL). 

O caso gerou revolta nas redes sociais. Diversos internautas repudiaram a atitude dos candidatos e celebridades se manifestaram sobre o ocorrido. Foi o caso do comediante Gregório Duvivier, que comentou o assunto em suas redes sociais.

"Não tem a ver com qual partido você gosta. Não tem a ver com onde você mora. Ou quanto você ganha. Tem a ver com a humanidade que tem dentro de você. O quão desumano você consegue ser? Quanta desumanidade é preciso pra tirar essa foto? E curtir? Até hoje não sabemos quem matou Marielle. Mas sabemos que, de todos os candidatos, apenas 1 não manifestou seu pesar. Claro. Olha essa foto. Por favor, pessoal. Um pouco de humanidade. Só um pouquinho.”, escreveu Duvivier no Instagram. 

O DIA entrou em contato com o presidente do PSL, Gustavo Bebbiano, e o candidato Rodrigo Amorim, mas não obteve resposta. Já Silveira se pronunciou através das redes sociais. "Depois da morte da vereadora, militantes da esquerda, ilegalmente renomearam a praça Floriano no centro do Rio de janeiro, colando um placa fake por cima da original. De certo que a morte da conhecida vereadora deve ser investigada e os autores punidos, no entanto, não pode servir como desculpas para depredação do patrimônio público", escreveu.

Nas redes sociais, Rodrigo Amorim, falou que a homenagem à vereadora era "depredação do patrimônio público" porque "renomearam ilegalmente a Praça Floriano colando uma placa fake com os dizeres "Rua Marielle Franco" em cima da placa original".

"Cumprindo nosso senso de dever cívico, eu, Rodrigo Amorim, e meu Irmão, Daniel Silveira, removemos fisicamente a depredação e restauramos a placa original, em homenagem ao grande Marechal brasileiro", escreveu Rodrigo.  

O DIA também procurou representantes do Psol, partido do qual Marielle fazia parte. De acordo com o candidato ao governo do Rio, Tarcísio Motta, o ato representa um atentado à democracia, já que a placa foi colocada por manifestantes. "Ao fazerem isso, eles se colocam ao lado dos assassinos de Marielle", comentou Tarcísio.

Galeria de Fotos

A vereadora Marielle Franco foi morta há nove meses Renan Olaz / Câmara Municipal do Rio
Imagem viralizou nas redes sociais após ser publicada na tarde de quarta-feira Reprodução Instagram