Ciro fez campanha em São Paulo nesta quarta - Divulgação / PDT
Ciro fez campanha em São Paulo nesta quartaDivulgação / PDT
Por AFP

São Paulo - O candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, acusou, nesta quarta-feira, o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, de mentir sobre o seu estado de saúde para evitar comparecer no último debate televisionado, hoje à noite.

Bolsonaro, que no sábado deixou o hospital depois de duas semanas internado por uma facada no abdomên durante um comício, disse que não poderá participar do debate da TV Globo logo mais. Um dos cirurgiões que atendeu o candidato PSL, de 63 anos, recomendou que ele não fosse ao debate.

No entanto, Ciro assegurou que Bolsonaro conseguiu "um atestado médico falso". "Eu quero dizer a você que eu vou tirar a sua máscara, Bolsonaro. Você não pode deixar de ir ao debate. Você está mentindo, e atestado médico falso é crime", declarou Ciro. "Vá ao debate da Globo que eu vou mostrar que você é uma cédula de três reais", acrescentou.

Bolsonaro tem 32% das intenções de voto, segundo a pesquisa do Ibope publicada nesta quarta, enquanto Fernando Haddad, do PT, em segundo lugar nas pesquisas, aparece com 23%. Ciro, em terceiro, está com 12%.

O último debate dos presidenciáveis aconteceu no último domingo, na Record TV - Nelson Almeida / AFP

Riscos

Segundo Michael Mohallem, professor de Ciência Política da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a Internet se transformou nos últimos anos em um vetor propagandístico importante, mas o debate televisionado "é um dos pequenos momentos quando existe mais espontaneidade".

Antes da facada, Bolsonaro já havia indicado que não tinha intenção de participar em todos os debates.

Para Mohallem, é "uma boa decisão estratégica. Participar do debate aumenta o risco de exposição negativa".

Você pode gostar