Mais Lidas

Assessoras de Marielle Franco se elegem deputadas estaduais no Rio

Renata Souza (Psol), Mônica Francisco (Psol) e Dani Monteiro (Psol) ampliaram a bancada do partido na Alerj

Por Beatriz Perez

Renata Souza (E), Mônica Francisco e Dani Monteiro: eleitas pelo Psol
Renata Souza (E), Mônica Francisco e Dani Monteiro: eleitas pelo Psol -

Rio - Renata Souza (Psol), Mônica Francisco (Psol) e Dani Monteiro (Psol) são as três novas deputadas eleitas na bancada do Psol para a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), que terá renovação de 51% a partir do ano que vem. O partido obteve a terceira maior bancada neste pleito, com cinco cadeiras: uma a mais do que a legislatura atual.

As três são mulheres negras que trabalharam no mandato da vereadora Marielle Franco, na Câmara Municipal do Rio, e vêm da militância em periferias e favelas. Elas querem, com seus mandatos, trazer a renovação na Casa e pautar questões raciais e feministas. 

A maior bancada eleita no domingo foi a do PSL, que aumentou de duas para 13 cadeiras na Alerj. O deputado estadual eleito mais votado, Rodrigo Amorim (PSL), teve sua imagem divulgada nas redes, na qual exibe uma placa quebrada com o nome de Marielle Franco, assassinada em 14 de março. Amorim declarou ao DIA que 'a esquerda terá dias difíceis' na Assembleia Legislativa.

A quinta deputada mais votada, Renata Souza, com 63.937 votos, disse que sua eleição representa a vitória da luta por representatividade e que tem a responsabilidade de barrar o conservadorismo na Alerj e no Brasil. "A nossa vitória é a das mulheres negras e feministas, pobres e periféricas, do Rio de Janeiro. Isso consolida uma luta por representatividade qualificada que não se resume a uma eleição", declarou. 

Renata, que foi chefe de gabinete de Marielle, diz que, agora, vai participar da campanha no segundo turno para evitar uma vitória de Jair Bolsonaro (PSL) para presidência. Ela disse quu vai desenvolver políticas públicas para proteger militantes de direitos humanos. "Na Alerj, unirei a proposição de políticas públicas para superação das desigualdades sociais a partir da garantia da vida da juventude negra e das mulheres. Além é claro, de desenvolver políticas que possam garantir a integridade física e a atuação de defensores de direitos humanos. Lutar com uma preta, como expôs nosso lema de campanha eleitoral, significa que nenhuma vida valerá menos que outras”

A deputada estadual eleita Dani Monteiro, que foi assessora de Marielle, disse que seu mandato quer levar a força da renovação da juventude à Assembleia. “Sabemos que vamos encontrar um parlamento muito mais conservador, que beira transbordar os limites da democracia, mas eu não tenho dúvidas de que a gente vai fazer uma ocupação daquele espaço, inclusive potencializada pelas três deputadas juntas (eleitas pelo PSOL).”

Eleita com 40.631 votos, Mônica Francisco (PSOL) disse que quer garantir o diálogo no parlamento, onde, ela lembra, é um espaço republicano. “Já sabemos que vai ser um ano muito duro com uma Alerj conservadora, moralista, muito branca e masculina. Não vai ser muito diferente do que ela é hoje. Mas, chega também com esse impacto das mulheres negras”. 

Dani Monteiro ressalta que as eleição das três assessoras de Marielle é simbólica. Para ela, faz parte do processo de luta e conquista de direitos de mulheres negras na política. “A gente continua de onde quem veio antes da gente parou. A Mari não era para ter sido interrompida, ela era uma potência que estava em locomotiva de ascensão, estava explodindo em todos os sentidos. Mas, a nossa história também é feita de interrupções brutais”, pontua.

Mônica Francisco compara o trabalho que desempenhou no mandato da vereadora Marielle Franco como um estágio para o que considera fazer política institucional. “Tenho uma trajetória longa de movimento social, ativismo e luta. Participar do mandato de Marielle Franco foi parte desta estrada e mais um degrau para chegar neste lugar. Um estágio no sentido mais literal: uma passagem para assumir um lugar oficial com eficiência, qualidade e maturidade”, ressalta. Dentre as atividades na Câmara Municipal, Mônica integrou a equipe de Atendimento à Mulher, a equipe da Comissão para Redução de Homicídios e na Frente Parlamentar de Economia Social, área de sua especialidade.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia