Em reunião com senadores chilenos, Bolsonaro diz admirar presidente Sebastián Piñera

Candidato do PSL manifestou desejo de trabalhar com presidente chileno pelo progresso dos dois países

Por AFP

Bolsonaro em reunião com senadores chilenos
Bolsonaro em reunião com senadores chilenos -

Rio - O candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, se declarou admirador do presidente chileno, Sebastián Piñera, e manifestou seu desejo de trabalhar com ele pelo progresso de Brasil e Chile. A declaração foi feita durante reunião do presidenciável com um grupo de senadores chilenos do partido União Democrata Independente (UDI), nesta quarta-feira .

"Um abraço especial para Piñera. O admiro desde seu primeiro mandato, quando o conheci, e sei que juntos, no bilateralismo e com acordos, temos tudo para trazer progresso e felicidade para nossos povos", declarou Bolsonaro, em um vídeo gravado pela comitiva chilena. "Quero um Brasil grande e um Chile grande. Estamos juntos até a vitória, se Deus quiser".

A comitiva chilena foi liderada por Jacqueline Van Rysselberghe, senadora e presidente da UDI, partido que apoia Piñera e que defendeu a ditadura de Augusto Pinochet no Chile entre 1973 e 1990, durante a qual 3.200 pessoas morreram ou desapareceram.

Bolsonaro se apresentou no vídeo como "candidato à Presidência da República do Brasil e, se Deus quiser, quase eleito". "Queremos nos aproximar cada vez mais de vocês" chilenos, e "agradecer a visita desta comitiva espetacular que está aqui".

Presidente do Chile, Sebastián Piñera - Odd Andersen / AFP

Durante sua última visita à Europa, Piñera declarou ter "concordâncias no terreno das medidas econômicas" com Bolsonaro, mas também "grandes divergências" em temas como igualdade de gênero e racismo.

Galeria de Fotos

Bolsonaro em reunião com senadores chilenos Reprodução / Facebook
Presidente do Chile, Sebastián Piñera Odd Andersen / AFP