Médicos liberam Bolsonaro para ir a debates

Do ponto de vista médico, o presidenciável Jair Bolsonaro está liberado para retomar sua agenda de campanha e participar de debates

Por Agência Brasil

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro -

Rio - Do ponto de vista médico, o presidenciável Jair Bolsonaro está liberado para retomar sua agenda de campanha e participar de debates. O candidato pelo PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, passou por uma avaliação médica na manhã desta quinta-feira com a equipe do Hospital Albert Einstein, que durou pouco mais de uma hora e meia. 

A expectativa é que a partir da avaliação Bolsonaro defina sua participação em pelo menos dois debates com o adversário Fernando Haddad, do PT, e eventuais viagens fora do Rio de Janeiro. Nos últimos dias, o candidato do PSL disse que aguardava a avaliação médica para tomar decisões, mas admitiu faltar os debates por estratégia.

A ausência em debates no segundo turno seria inédito desde a redemocratização.

Na nota médica desta quinta-feira, a assessoria de Bolsonaro informa que ele passou por exames de imagem e de laboratório e que “apresenta boa evolução clínica e a avaliação nutricional evidenciou melhora da composição corpórea, mas ainda exigindo suporte nutricional e fisioterapia”.

Em outra nota, divulgada no início da tarde, a equipe médica informa que "o candidato à Presidência Jair Bolsonaro foi submetido hoje a avaliação médica multiprofissional, de exames de imagem e laboratoriais, que se mostraram estáveis. Apresenta boa evolução clínica e a avaliação nutricional evidenciou melhora da composição corpórea, mas ainda exigindo suporte nutricional e fisioterapia. Ainda permanece como fator limitante relativo a presença da colostomia." 

Os médicos Leandro Echenique, cirurgião, e Antonio Luiz Macedo, cardiologista, fizeram novos exames em Jair Bolsonaro e não falaram com a imprensa - Tânia Rego/Agência Brasil

Ao mesmo tempo em que os médicos deixavam o condomínio onde mora Bolsonaro, na Barra da Tijuca, o presidenciável postou uma mensagem em seu perfil no Twitter.

Acompanhada de uma imagem, o texto diz "18 de outubro / Dia do Médico: ESSA DATA FICARÁ SEMPRE EM MEU CORAÇÃO!"

Expectativas

A avaliação foi feita por Antônio Luiz Macedo, cirurgião que operou o candidato em São Paulo no dia 12 de setembro, e Leandro Echenique, cardiologista da equipe, na casa de Bolsonaro, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Os médicos que realizaram o exame não falaram com a imprensa.

Os médicos chegaram por volta das 9h45 e deixaram o local às 11h20. Na semana passada, os médicos afirmaram que o quadro de saúde do candidato está evoluindo bem e que, provavelmente, ele seria liberado para todas as atividades de campanha nesta quarta.

A cirurgia para a retirada da bolsa de colostomia está prevista para ser feita a partir do dia 12 de dezembro e requer duas semanas de recuperação.

Por volta das 10h30, Bolsonaro recebeu a visita do candidato ao governo de Roraima Antônio Denarium (PSL). Na saída, ele disse que a conversa girou em torno do ingresso de imigrantes venezuelano no Brasil, uma vez que grande parte entra por Roraima, gerando controvérsias entre as autoridades locais e as federais.

Fake

Circula nas redes sociais uma teoria segundo a qual Jair Bolsonaro estaria com câncer. A versão considera que a facada sofrida pelo candidato em ato em Juiz de Fora seria, na verdade, uma simulação. Mas a informação sobre a doença, segundo o próprio médico, é falsa. "Não tem câncer. No dia 12 de setembro abri amplamente o abdômen e só tinha consequências da facada, mas não câncer", afirmou Macedo.

*Com informações do Estadão Conteúdo 

Galeria de Fotos

Os médicos Leandro Echenique, cirurgião, e Antonio Luiz Macedo, cardiologista, fizeram novos exames em Jair Bolsonaro e não falaram com a imprensa Tânia Rego/Agência Brasil
Jair Bolsonaro Fernando Frazão / Agência Brasil