Anderson Silva sobre superlutas: 'Boas para os negócios, ruins para o esporte'

Para o ex-campeão dos pesos-médios, eventos minam chances de novos lutadores crescerem no MMA

Por elisa.souza

Ingraterra - Anderson Silva falou, pela primeira vez, sua opinião sobre as superlutas, cada vez mais comuns no UFC. Para o ex-campeão dos pesos-médios, os confrontos entre atletas de diferentes faixas de peso são bons para os negócios, mas não para os lutadores ou para o MMA. A declaração veio depois de Jon Jones dizer que deseja enfrentar Anderson Silva, uma vez que recupere o cinturão perdido no UFC 162.

"As pessoas falam muito sobre superlutas, mas e as chances de novos lutadores aparecerem e lutarem pelos cinturões? Estou pronto para enfrentar Jon Jones ou Georges St-Pierre, mas na minha academia há nomes como Rogério Minotouro ou Glover Teixeira. Georges St-Pierre é de uma categoria de peso diferente. Já tenho muitos problemas na minha categoria de peso. Uma superluta é boa para os negócios, mas é péssima para os lutadores. Digamos que eu enfrente Georges St-Pierre. Ele sobe um pouco de peso e eu desço um pouco. Digamos que eu vença. Depois eu enfrento Jon Jones. Digamos que eu vença. O que pode ser maior depois disso? Nada! Na minha opinião superlutas são uma grande idiotice", declarou o Spider em entrevista concedida ao site inglês "GiveMeSport".

Anderson Silva critica superlutas: 'Grande idiotice'Divulgação

Sobre a luta em que perdeu seu cinturão para o americano Chris Weidman, quando questionado se o adversário teve sorte, o brasileiro foi categórico. "Chris Weidman foi o melhor naquela noite. Minha cabeça não estava boa. Eu perdi o meu controle e isso foi ruim. Você pode acabar pensando que é imbatível pelo treino que vem fazendo, imbatível em seus objetivos e isso comprometeu", disse ele.

Há possibilidade de uma terceira luta com o falastrão Chael Sonnen? Nenhuma, segundo o Spider. "Eu dei duas chances para Chael me vencer, e ele não aproveitou. Desculpe-me, cara. Adeus!", concluiu o brasileiro.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia