Anfitriões da próxima Copa, russos vão gastar fortuna para fazer bonito em 2018

Estimativa de gastos públicos para o Mundial de 2018 chega a 45 bilhões de reais

Por ulisses.valentim

Rio - Os EUA se intitulam a maior nação do mundo. Mas, em termos territoriais, esse título é de um adversário político histórico dos americanos. A Rússia é o maior país, com mais de 17 milhões de km², o equivalente a 1/9 de todo o planeta. A rivalidade com os EUA deflagrou a Guerra Fria, um conflito ideológico e de demonstrações de poder que começou em 1945 e que causou uma corrida armamentista, além de altos investimentos em tecnologia e economia. Era o capitalismo americano contra o comunismo da União Soviética.

Depois da queda do regime comunista — e consequentemente o fim da União Soviética —, motivada pela Perestroika (movimento de abertura político-econômica liderada por Mikhail Gorbachev), a Rússia tornou-se o país com mais bilionários no mundo.

Russia será a próxima sede da Copa do MundoEfe

No futebol, o país cresce e é um dos eldorados. Sede da Copa de 2018, a Rússia tenta apagar a imagem racista de sua torcida, que costumam atirar bananas em campo e imitar macacos para ofender jogadores negros.

O governo promete investir R$ 45 bilhões em obras, bem mais do que o Brasil, que deve alcançar a casa dos R$ 30 bilhões com os custos do Mundial. A seleção russa, comandada pelo italiano Fabio Capello, foi feliz no sorteio e não deve ter problemas para se classificar no Grupo H, ao lado de Bélgica, Coreia do Sul e Argélia

A Rússia é também a pátria das melhores e mais caras vodcas do mundo. Algumas delas custam mais de R$ 8 milhões. A bebida é tão popular no país que o nome vem de ‘voda’, palavra que significa água.

Atualmente, o governo russo está no centro de polêmica diplomática. A região da Crimeia (península da Ucrânia no Mar Negro e próxima da Rússia) foi anexada ao território russo pelo presidente Vladimir Putin, apesar do não reconhecimento da comunidade internacional.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia