De volta ao Brasil, Anderson Silva revela que não pensa mais em cinturão do UFC

Recuperado da fratura, Spider afirmou não ter mais paciência para disputar o título

Por jessica.rocha


Rio - Anderson Silva está de volta ao Brasil. Recuperado, o atleta tem treinado forte para esquecer sua última luta, em 28 de dezembro de 2013, quando fraturou a perna esquerda. O Spider afirmou não ter a mesma paciência para pensar em disputar o cinturão, mas se prepara para retornar ao octógono. O brasileiro encara Nick Diaz, em Las Vegas, Estados Unidos, pelo UFC 183.

Anderson Silva admitiu não ter mais paciência para pensar em cinturãoReprodução Internet

“Eu já passei por aquela coisa de ser o campeão, de ter o cinturão e tal. A verdade é que Ayrton Senna só vai ter um, Pelé só vai ter um e Anderson Silva só vai ter um, então. Eu não tenho mais paciência para isso. Acho que a cada dia que passa eu fico mais perto de me aposentar”, afirmou Anderson Silva ao programa "Fantástico", da TV Globo.

LEIA MAIS: Notícias, lutas e bastidores: tudo do mundo do MMA

Nesta segunda-feira, o lutador volta ao Brasil a fim de se preparar para o duelo. Segundo Anderson, treinar em seu país é fundamental para a sua recuperação. Com o acompanhamento de uma psicóloga, o atleta vem recuperando sua confiança para voltar a chutar com força.

“Eu me sinto melhor treinando no Brasil. E, para que eu fique 100%, prefiro treinar no Brasil. A força (na perna) está vindo, porque eu voltei aos treinos. O mais difícil é a autoconfiança, voltar a chutar da forma que eu chutava antes. Estou tendo o acompanhamento de uma psicóloga para que eu tire os fantasmas daqueles momentos horríveis que foram a luta, quando tive o acidente. Na hora dos treinos fico meio apreensivo", acrescentou Spider.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia