Jogador negro é alvo de manifestações racistas de clube da Rússia

Com origem congolesa, Erving Botaka-Yoboma nasceu no país da última Copa

Por O Dia

Racismo voltou a ser pauta no futebol russo
Racismo voltou a ser pauta no futebol russo -

Rússia - Menos de uma semana após o fim da Copa do Mundo, o futebol da Rússia volta a enfrentar manifestações racistas. Torcedores do Torpedo Moscou protestaram de forma esdrúxula, infeliz e covarde contra a contratação de Erving Botaka-Yoboma. O zagueiro, que nasceu na Rússia mas tem origem congolesa, jogava no time B do Lokomotiv Moscou e foi contratado. Os ultras do clube exibiram uma faixa com a mensagem "Pode haver preto nas cores do clube, mas só há brancos entre os torcedores".

Além da faixa, os torcedores publicaram uma foto de Botaka-Yoboma com um símbolo de proibição sobre ela. Na legenda, estava a frase "Nosso clube, nossas regras". As ações racistas geraram reações do próprio presidente do clube moscovita, Roman Avdeyev. "A cor da pele não é um critério para as nossas contratações. Nunca foi e nunca será", disse.

Antes dos ataques ao zagueiros, os ultras do Torpedo já tinham sido punidos por outro episódio racista. Em 2015, eles ficaram afastados dos estádios, porque imitaram sons de macaco para o atacante brasileiro Hulk, que defendia o Zenit.

Galeria de Fotos

Racismo voltou a ser pauta no futebol russo Divulgação
Racismo voltou a ser pauta no futebol russo Divulgação

Últimas de Esporte