Sylvinho é confirmado na comissão técnica permanente da seleção brasileira

Edu Gaspar confirmou ex-lateral e revelou dificuldade em marcar alguns amistosos: 'Muitas equipes não querem jogar com a seleção brasileira'

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Sylvinho é novo integrante da comissão técnica do Brasil
Sylvinho é novo integrante da comissão técnica do Brasil -

Rio - O coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar, confirmou que Sylvinho se tornou membro permanente da comissão técnica da seleção brasileira. O ex-jogador vinha trabalhando com a comissão técnica de Tite desde 2006, mas estava dividindo suas atribuições com a Inter de Milão e vinha sendo convocado para atuar na seleção, assim como os jogadores.

A partir de agora, ele será integrante efetivo da equipe de Tite "O Sylvinho vai fazer parte agora da nossa comissão técnica efetivamente, dentro da nossa equipe de trabalho", confirmou Edu Gaspar, em entrevista ao Sportv, na noite de segunda-feira.

"Pelo tamanho que ele tomou, depois da experiência que ele teve como atleta, como auxiliar técnico, conviveu com grandes profissionais. Efetivamos ele como membro da comissão técnica brasileira", confirmou o coordenador de seleções.

O ex-lateral-esquerdo, com passagens por Corinthians, Barcelona e Manchester City, vinha atuando como assistente da Inter de Milão nos últimos anos. Antes exercera a mesma função no Corinthians, Náutico, Sport e Cruzeiro. Nos últimos anos, chegou a ser cogitado para virar treinador de equipes no Brasil, mas recusou as propostas.

Na mesma entrevista, Edu Gaspar defendeu a escolha da CBF pelos adversários da seleção em seus últimos dois amistosos, contra Estados Unidos e El Salvador. Estas partidas, ambas disputadas em solo norte-americano, foram realizadas nos dias 8 e 11 deste mês.

"Todo esse estudo de seleções disponíveis nas datas, eles são feitos com antecedência. São feitos convites para todas, para jogar com os principais adversários possíveis", explicou o coordenador de seleções, principal responsável por definir os amistosos da equipe nacional.

"Mas muitas equipes não querem jogar com a seleção brasileira. Muitas vezes, não foi o Peru que escolheu a Holanda, mas o contrário. E quando eu vou escolher uma seleção, muitas delas não querem enfrentar a seleção brasileira", justificou, ao citar o amistoso entre Peru e Holanda, disputado na mesma data dos duelos do Brasil.

Últimas de Esporte