Uma vitória para espantar a má fase

Em mau momento, Flamengo de Jesus e Botafogo de Barroca buscam dar a volta por cima no clássico

Por O Dia

Barroca.Treino do Botafogo no Estadio Nilton Santos. 02 de julho de 2019, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo. Imagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998.
Barroca.Treino do Botafogo no Estadio Nilton Santos. 02 de julho de 2019, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo. Imagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. -

Juntando os cacos após uma semana decepcionante na Libertadores e na Copa Sul-Americana, Flamengo e Botafogo se enfrentam hoje, às 16h, no Maracanã, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. A busca pela volta por cima no clássico marca também um duelo particular entre Jorge Jesus e Eduardo Barroca, dois técnicos que ainda tentam ganhar a confiança dos torcedores.

Com apenas 10% da carga de ingressos destinada aos alvinegros, os rubro-negros serão maioria esmagadora no duelo. Mesmo com a decepção na Libertadores, cerca de 36 mil flamenguistas compraram ingressos para o jogo até sexta-feira, e a expectativa é de um bom público hoje à tarde no Maracanã, na faixa de 40 mil espectadores.

Confronto de treinadores

Apresentando-se aos poucos para o futebol brasileiro, os técnicos Jorge Jesus e Eduardo Barroca prometem travar um duelo pela posse de bola. De estilos parecidos, eles prezam pelo controle do jogo, embora ainda não tenham apresentado grandes resultados.

Muito prejudicado pelos desfalques do meio para a frente, Jesus terá um árduo trabalho para impor sua forma de jogar no Maracanã. Sem Everton Ribeiro, Arrascaeta e Diego — além do atacante Vitinho —, principais jogadores de criação, o único articulador da equipe será Gerson, recém-contratado. O jovem Reinier, de 17 anos também é opção.

Pelo lado do Glorioso, Barroca tenta encerrar uma seca de quatro jogos sem marcar. Sem força ofensiva, o Botafogo costuma ter mais posse de bola, mas enfrenta dificuldades para furar a defesa adversária. A tarefa ficou ainda mais difícil com a perda do atacante Erik, que teve o empréstimo ao Palmeiras encerrado para jogar no futebol japonês.

Comentários