Suspeita de envolvimento em crime que assassinou jogador ex-Botafogo consegue habeas corpus e será solta

Filha de assassino confesso de Daniel responderá ao processo em liberdade

Por iG

Cris Brittes e Allana Brittes (à direita)
Cris Brittes e Allana Brittes (à direita) -
São Paulo - A jovem Allana Brittes, que está presa desde o ano passado sob a suspeita de envolvimento no assassinato do jogador Daniel Corrêa , no Paraná, conseguiu habeas corpus nesta terça-feira e responderá em liberdade.

Allana Brittes é acusada de coação no processo, fraude processual e corrupção de adolescente. Ela é filha de Edison Brittes, o assassino confesso do atleta.

Foi sustentado pela defesa de Allana que ela "sequer foi indiciada pelo homicídio do jogador, tendo sido mantida como personagem secundária do quadro imputacional, sendo que suas condutas teoricamente reprováveis sempre foram efetivadas em desdobramentos das ações do então investigado principal, Edison, que é seu pai".

Foi dito ainda que "todas as condutas atribuídas à ré na prefacial são claramente submissas às condutas de seu pai, corréu Edison , não havendo protagonismo individual da peticionária em nenhum dos potenciais crimes que lhe são tributados".

Em fevereiro deste ano, o TJ-PR (Tribunal de Justiça do Paraná) havia negado um pedido de habeas corpus da ré. Na época, o TJ afirmou, em nota, que a prisão preventiva foi baseada no entendimento de que ainda estão presentes os requisitos que a sustentam, como manter a ordem pública e a aplicação da lei penal.

O empresário Edison Brittes já confessou ter matado Daniel, alegando que jogador tentou estuprar Cristiana Brittes, sua esposa, em casa. Por outro lado, a Polícia Civil e o MP-PR (Ministério Público do Paraná) entendem que não houve tentativa de estupro.

De todos os acusados, apenas Evellyn Perusso responde em liberdade. Os outros seguem detidos.

Veja quem são os acusados do caso Daniel e pelo que respondem:

Edison Brittes Júnior : acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor e coação no curso do processo;
Cristiana Brittes : acusado de homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor;
Allana Brittes : acusada de coação no processo, fraude processual e corrupção de adolescente;
Ygor King : acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
Eduardo Henrique da Silva : acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor. Ele é primo de Cris Brittes;
David William Vollero Silva : acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa;
Evellyn Brisola Perusso : acusada de denunciação caluniosa, fraude processual, corrupção de menor e falso testemunho.
O caso Daniel terá continuidade no próximo dia 13 de agosto, na 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais, no Paraná, com os depoimentos dos sete acusados do crime. As audiências podem ser estender até o dia 15 do mesmo mês, dependendo do andamento.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Cris Brittes e Allana Brittes (à direita) Reprodução
Caso Daniel: Allana e Cristiana Brittes são rés no processo pela morte do jogador Reprodução / Massa News
Câmeras flagram encontro de família Brittes com três testemunhas Reprodução/ TV Globo

Comentários