Rio, 10/12/2019 - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS/PARCEIRO - Lançamento do livro
Rio, 10/12/2019 - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS/PARCEIRO - Lançamento do livro "Mister Jesus: Quebrando Paradigmas no Futebol", no Cônsulado Português, Zona Sul do Rio, na tarde desta terça-feira (10). Foto: Mauricio Pingo/Parceiro/Agência O DiaMauricio Pingo/Parceiro/Agência O Dia
Por O Dia
Publicado 07/01/2020 16:46 | Atualizado 07/01/2020 18:51
Portugal - De férias em Portugal, sua terra natal, o técnico Jorge Jesus participou de um julgamento nesta terça-feira acerca dos ataques sofridos no Alcochete, CT do Sporting, em 2018. O agora técnico do Flamengo foi ouvido através de uma videoconferência e relembrou o episódio vivido no dia 15 de maio daquele ano.

"Estava de costas e me deram com um cinto na cara. Fiquei com o nariz sangrando. Parecia a marcha de corrida de um pelotão de guerra. Diziam que queriam os jogadores. (O Vestiário) Estava todo virado ao avesso, o Bas Dost chorando. Aquilo estava tudo revirado, os bancos, muita coisa no chão", disse Jesus.

O incidente ocorreu em maio de 2018, logo após a não classificação da equipe para a Liga dos Campeões do ano seguinte. Cerca de 40 torcedores invadiram o CT do Sporting e agrediram alguns funcionários do clube. Além do treinador e Bas Dost, também foram agredidos Battaglia, Misic, Acuña, o auxiliar Mário Monteiro e os seguranças presentes no local.