Mauro Cezar afirma que Rede Globo pagaria menos aos clubes em Brasileiro com mata-mata

Opção vem sendo debatida por conta do coronavírus

Por O Dia

Mauro Cezar
Mauro Cezar -
Rio - Com a paralisação da temporada do futebol brasileiro por conta do coronavírus, a possibilidade do Brasileirão deste ano ser disputado em formado de mata-mata vem sendo debatida. No entanto, de acordo com informações do comentarista da ESPN Brasil, Mauro Cezar Pereira, esse formado pode impactar os cofres dos clubes do Brasil.
"Nos bastidores do futebol há quem se movimente pela troca do sistema de disputa do Campeonato Brasileiro da primeira divisão. A ideia seria encaixar os jogos da Série A no menor número de datas disponíveis após a quarentena imposta à população devido à pandemia de coronavírus. Mas essa possibilidade custaria caro aos clubes, pois a TV Globo teria o direito de pagar menos pelos direitos de transmissão", afirmou.
O Campeonato Brasileiro vem sendo disputado no formado de pontos corridos desde a temporada de 2003. "O formato de pontos corridos, adotado em 2003, foi fundamental para alavancar a venda das partidas pela TV. A redução de pelejas geraria reclamações dos assinantes. Imagine a reação do torcedor que paga para ver 38 jogos de seu time e que, repentinamente, teria assegurados apenas 19, a metade", disse Mauro.
Nos bastidores do futebol há quem se movimente pela troca do sistema de disputa do Campeonato Brasileiro da primeira divisão. A ideia seria encaixar os jogos da Série A no menor número de datas disponíveis após a quarentena imposta à população devido à pandemia de coronavírus. Mas essa possibilidade custaria caro aos clubes, pois a TV Globo teria o direito de pagar menos pelos direitos de transmissão.

Comentários