Paulo Magro, no centro, estava internado desde o dia 18 de dezembro e não resistiu às complicações do novo coronavírus - Divulgação/Chapecoense
Paulo Magro, no centro, estava internado desde o dia 18 de dezembro e não resistiu às complicações do novo coronavírusDivulgação/Chapecoense
Por O Dia
Chapecó - Presidente da Chapecoense, Paulo Ricardo Magro, de 57 anos, não resistiu às complicações do novo coronavírus e morreu nesta quarta-feira, no Hospital da Unimed, em Chapecó. Desde o dia 18 de dezembro internado na Unidade de Terapia Intensidade (UTI), o dirigente aumenta a lista de vítimas fatais na pandemia de covid-19.

Na liderança da Série B do Campeonato Brasileiro, com 62 pontos e 99% de chances de voltar à elite, a Chape perde o presidente que assumiu o clube em agosto de 2019 após o pedido de afastamento de Plínio David Filho. 
Em nota oficial, a Chapecoense lamentou o falecimento de Paulo Magro e reforçou o pedido de orações para o dirigente e familiares aos torcedores.

Confira a nota divulgada pelo clube:

"Extremamente consternados e com os nossos corações tomados pela tristeza e incredulidade, comunicamos o falecimento do presidente da Associação Chapecoense de Futebol, Paulo Ricardo Magro, ocorrido nesta quarta-feira (30).⁣

Paulo tinha 57 anos e foi um dos grandes responsáveis pela retomada da Chapecoense, dentro e fora de campo. Com a sua coragem, idoneidade e sabedoria, ele permitiu que o time alviverde voltasse a trilhar um caminho vitorioso, pavimentado pela dignidade e pelo trabalho - valores tantas vezes pregados pelo nosso querido presidente. ⁣
Publicidade
Diante da perda irreparável, o sentimento é de tristeza, mas, acima de tudo, de gratidão ao homem que entrou para a nossa história e nela se eternizou ao, novamente, reconstrui-la. ⁣

Neste momento de profunda dor, pedimos que os torcedores se unam em orações pela família e pelos amigos. Que a força que tantas vezes deram ao nosso clube nunca os falte".