Botafogo volta tropeçar no Nilton Santos e só empata com o Ceará

Glorioso terminou a partida com um homem a menos

Por ALYSSON CARDINALI

Botafogo e Ceará empataram sem gols
Botafogo e Ceará empataram sem gols -

Rio - A noite de festa em homenagem aos 454 jogos de Jefferson pelo Botafogo se transformou em decepção. O empate em 0 a 0 com o Ceará, ontem, no Nilton Santos, frustrou não só o goleiro — o terceiro a mais vezes vestir a camisa alvinegra, atrás de Nilton Santos e Garrincha — mas os torcedores presentes ao estádio. Eles vaiaram a atuação apática do time em mais um tropeço em casa no Campeonato Brasileiro.

Atuando contra o lanterna da competição, o Botafogo partiu para cima do Ceará e Jefferson foi quase um mero espectador privilegiado em campo. A primeira chance de gol surgiu aos 11 minutos, em cabeçada de Joel Carli rente ao travessão, após falta batida por Leo Valencia.

Diante de um adversário que ainda não venceu no Brasileiro e pouco incomodava, o time de Alberto Valentim seguiu no ataque, mas de forma desordenada. Aguirre, aos 17, chutou por cima e perdeu boa chance.

O Botafogo também teve dificuldades para criar jogadas devido à violência dos jogadores do Ceará. Eles apelaram para seguidas faltas, com direito a algumas entradas violentas sob a complacência do árbitro Leandro Vuaden.

Leo Valencia, aos 32, chutou rente à trave novamente, enquanto o Ceará só chegou com perigo aos 37: Pio bateu falta e Jefferson, enfim, apareceu ao fazer bela defesa — na sequência, Arthur mandou a bola para a rede, mas estava impedido.

Apesar do susto, o Botafogo seguiu na frente e quase marcou aos 41, em chute forte de Aguirre que Éverson cedeu escanteio. Nada, porém, que animasse a torcida, que vaiou o time no fim do primeiro tempo.

Os alvinegros só não imaginavam que as vaias se transformariam em ira na segunda etapa. O Botafogo voltou apático do intervalo, errando passes em profusão. Com isso, o Ceará passou a se aventurar no ataque. Pio, aos 11, chutou de longe e assustou Jefferson — a bola passou perto da trave.

Alberto Valentim ainda pôs Renatinho e Luis Fernando na vaga de João Pedro e de Aguirre, mas o Botafogo seguiu confuso. Para piorar, perdeu Yago, aos 35, após choque com o goleiro Éverson. Desnorteado, ele deixou o time com um jogador a menos (Joel Carli já havia dado lugar a Yago), e sem forças para buscar a vitória.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 0 X 0 CEARÁ

Estádio: Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)

Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi e Jose Eduardo Calza (ambos do RS)

Público/renda: 7.744 pagantes / 8.825 presentes / R$ 172.222,00

Cartões amarelos: Luiz Otávio, Richardson, Romário (CEA)

Cartões vermelhos: -

Gol: -

BOTAFOGO: Jefferson, Marcinho, Joel Carli (Yago - 23'/2ºT), Igor Rabello e Moisés; Rodrigo Lindoso, Jean, João Pedro (Renatinho - 17'/2ºT) e Leonardo Valencia; Aguirre (Luiz Fernando - 27'/2ºT) e Kieza. Técnico: Alberto Valentim

CEARÁ: Éverson, Valdo (Tiago Alves - 3'/2ºT), Rafael Pereira (Douglas Coutinho - 41'/2ºT) e Luiz Otávio; Pio, Fabinho (Naldo - 25'/2ºT), Richardson, Ricardinho e Romário; Arthur e Felipe Azevedo. Técnico: Lisca