Durcesio Mello é o presidente do Botafogo
Durcesio Mello é o presidente do BotafogoVítor Silva/Botafogo
Por O Dia
Rio - A situação financeira do Botafogo não é confortável e pode piorar ainda mais. A construtora Odebrecht pediu na Justiça do Rio uma penhora milionária contra o Alvinegro, em um valor que chega a R$ 53.362.122,00. As informações são do portal "Esporte News Mundo".
O primeiro pedido da penhora é dos direitos de transmissão em televisão aberta do próximos dois Estaduais, veiculados a partir deste ano pela Record. A construtora assinala a quantia pleiteada de R$ 3,9 milhões como valor que o Botafogo tem a receber para que seja penhorado.
Publicidade
O segundo pedido é dos direitos de transmissão em todas as mídias da Série B do Brasileiro de 2021, veiculados pelo Grupo Globo. Neste trecho, a empresa aponta que o Botafogo tem a receber até R$ 15 milhões, requerendo também que seja penhorado este montante.
Publicidade
Além disso, a Odebrecht pede para que ocorra a penhora dos direitos econômicos do Botafogo relativos a três atletas profissionais do clube: Mateus Nascimento, Kauê e Jhonnata. A Odebrecht apontou em juízo que o primeiro é avaliado em R$ 19,5 milhões, o segundo teria uma multa rescisória de R$ 45 milhões e o terceiro é uma das promessas que acabou de assinar contrato profissional com o Glorioso.

A cobrança ocorre devido a um suposto empréstimo ao Botafogo na gestão do ex-presidente Maurício Assumpção, em 2013, com a ação entrando somente em 2017 na 49ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ). Uma decisão sobre esta penhora milionária pode sair ainda nesta sexta-feira.