Nível europeu em solo carioca

Por O Dia

Arrascaeta
Arrascaeta -
Há pelo menos três anos o Flamengo se reforça de uma forma que há muito não se via no futebol sul-americano. Acompanhe esses nomes: Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís, que tem acerto iminente com o Rubro-Negro. Mais à frente, Cuéllar, Gérson, Diego, Everton Ribeiro, Arrascaeta, Vitinho, Bruno Henrique e Gabigol. Nove dos 13 nomes já jogaram na Europa. E, os que não jogaram, já representaram suas seleções. O time da Gávea faz o caminho inverso: enquanto aqui a maioria vende para sobreviver, o Flamengo vende, mas repõe e ainda busca no mercado europeu com boas condições. A discrepância com os rivais cariocas, que lutam para manter as contas em dia, é cada vez maior. Hoje, apenas o Palmeiras, na América do Sul inteira, tem um elenco parecido com o do Rubro-Negro no papel. Se vai dar certo ou não, a resposta virá em campo. Mas, fora dele, a máquina construída espanta.

A DIFERENÇA ESTÁ NO TRATO
O Fluminense não para. Depois de pagar dois meses de salários, resolver inúmeros problemas internos e trazer Nenê, o grande pedido de Diniz, o clube vai repatriar o atacante Wellington Nem, campeão brasileiro e com enorme identificação no Tricolor. Mário Bittencourt consegue coisas que pareciam impossíveis na gestão anterior. A diferença está no trato e na competência do atual presidente.

ANTES PREJUÍZO. AGORA LUCRO
O Flamengo assumiu, ao lado do Fluminense, a gestão do Maracanã. Se antes o clube pagava e a renda com jogos lotados era quase nula, hoje o clube fica, em média, com 41% das rendas das partidas realizadas no Maraca. Desde que virou gestor, o Rubro-Negro atuou seis vezes no local e arrecadou cerca de R$ 860 mil por jogo. Enfim, o futebol carioca se beneficiando.

SÃO JANUÁRIO DE CARA NOVA
O Vasco está realizando uma série de mudanças em seu estádio. A primeira delas é a nova pintura da arquibancada, que será atualizada depois de oito anos. A outra é a instalação de novos refletores para atender a pedidos da CBF. A expectativa é que o palco fique com nível europeu na iluminação. Tudo acontecerá entre os meses de julho e agosto.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários