Em Grande Fase
Coluna
Em Grande Fase
Com Edilson Silva

A força de um gigante

Por O Dia

Vanderlei Luxemburgo comanda treino: casa lotada contra o Bahia
Vanderlei Luxemburgo comanda treino: casa lotada contra o Bahia -

O Vasco acumula três rebaixamentos em pouco mais de dez anos. Para qualquer clube, isso seria um golpe quase mortal. Mesmo sofrendo ano a ano por conta das más gestões, brigas políticas, crises financeiras e resultados ruins em campo, a torcida do Gigante da Colina parece ter tomado uma anestesia. Mas para o bem. O time tomou de quatro do Flamengo. O que aconteceu contra o São Paulo? Lotaram São Januário e levaram a equipe à vitória. Perdeu para o Cruzeiro. Hoje, ingressos esgotados na Colina contra o Bahia. E, no meio disso tudo, em 15 dias uma arrecadação de R$ 2 milhões doados pela massa vascaína para a construção do novo CT. Eles parecem não sentir as dores mais. Apoiam mesmo quando nada parece dar certo. Tiram forças de onde não existe para levantar o gigante, nos últimos tempos adormecido, mas que nunca deixou de ser um. Grande fase é pouco.

O FLU NÃO VAI PARAR

A ameaça de rebaixamento é transparente, mas nada vai parar o Fluminense. Inclusive a diretoria já se movimenta para trazer um zagueiro e um lateral-esquerdo para que o time tenha outra cara no segundo turno do Campeonato Brasileiro. Trabalho por parte dessa gestão não faltará para que o Tricolor esteja no lugar que condiz com sua história: na elite.

PEDIDO DE SOCORRO

Os jogadores do Goytacaz estão há cerca de quatro meses sem receber salários. O clube joga a Série B1 do Cariocão e até entrará em campo contra o Itaboraí hoje à tarde, mas, se não houver o pagamento da diretoria, o grupo já decidiu que fará igual aos jogadores do Figueirense: greve. É triste o que se vê no futebol atualmente. Descompromisso com o trabalhador. E esses vivem a verdadeira realidade. Socorro para o Goyta!

A FERJ COM RAZÃO

Como já dito aqui na coluna, a nova divisão das cotas de TV desfavoreceu a maioria dos times e beneficiou poucos. Isso se reflete no Rio de Janeiro, onde só o Flamengo vem pagando as taxas da Ferj. Os outros três grandes estão sofrendo com crises financeiras. Impacto direto na federação, que prevê um colapso. Está muito claro: se não mudar, nosso futebol nunca mais será como antes. 'Espanholização' aqui não!

 

Comentários