Em Grande Fase
Coluna
Em Grande Fase
Com Edilson Silva

Todo jogo é um passo na corda bamba

Por O Dia

Abel Braga deixou o comando do Vasco com um aproveitamento de 40% em 14 jogos
Abel Braga deixou o comando do Vasco com um aproveitamento de 40% em 14 jogos -
Vasco e Goiás fazem hoje a primeira partida da terceira fase da Copa do Brasil. São Januário com mais de 20 mil presentes é o que teremos. Vinte mil vascaínos de saco cheio do que o time tem apresentado em 2020, mas que jamais abandonam o Gigante da Colina. A vida de Abel e do presidente Alexandre Campello segue marcada por passos na corda bamba. O técnico, principalmente, a cada jogo vai desequilibrando sua trajetória. O Vasco, sem renda, pagou um mês de salários ontem com dinheiro da premiação da Copa do Brasil. O que isso significa? O bolso dos jogadores. Isso motiva, claro. Passar de fase significa mais R$ 2 milhões na conta do clube. Mas um resultado ruim pode fazer os atletas ajudarem Abel a pular da corda bamba. Eles sentem a desorganização da diretoria e do comandante. Ninguém é bobo. A greve de entrevistas mostra como eles estão incomodados. Porém, apesar de tudo, esse elenco nunca escondeu-se do trabalho e é por isso que acredito na classificação do Vasco. Somados à torcida, a grandeza vai pesar para fazer um bom resultado. Jogadores e torcida. Só por eles eu acredito. Se depender de mais alguém...


DECISIVO COMO SEMPRE

Neymar jogou as oitavas de final da Liga dos Campeões contra o Borussia Dortmund. Ele não havia participado das últimas edições por sempre estar lesionado, mas, desta vez, não teve jeito: atuou e decidiu. Gol na Alemanha e gol na França. Mesmo com o estádio do PSG vazio, por causa do Coronavírus, o craque brasileiro apareceu de forma pouco provável para mostrar que decisão é com ele. Usou a cabeça, coisa que ele tem usado para fazer gol e também entender que precisa focar para ser o melhor. Tem dado certo.


EU DISSE QUE ERA PELO BOTAFOGO

Mais de 20 mil botafoguenses foram ao Nilton Santos apoiar o Alvinegro na Copa do Brasil contra o Paraná. É claro que ver Honda era a vontade de todos, mas quem esteve lá ajudou o Glorioso a conquistar um importante resultado: 1 a 0, gol de Luiz Fernando, um atleta que gosto pela personalidade. A torcida deu show e está claro que o time evolui a cada partida com Autuori, mesmo com um elenco bem modesto. O nome disso é trabalho e competência.


PINGOU UM MÊS, MAS E OS FUNCIONÁRIOS?

O Vasco pagou ontem o mês de dezembro aos jogadores. E eles merecem, é claro. São trabalhadores e estão no seu direito. Mas quem precisa mais? Jogadores ou funcionários? Tem que pagar todo mundo, mas se for para tirar um pouco dos atletas e dar aos funcionários, que seja feito. A gestão do presidente Alexandre Campello se mostra perdida em 2020. E é ano de eleição.

Comentários