Esperança rubro-negra: Eduardo da Silva tem melhora

‘Croata’ será reavaliado para saber se pega o Vitória, após sofrer golpe à la Zuñiga contra o Coritiba

Por pedro.logato

Rio - Eduardo da Silva trouxe esperança para a torcida na sua bagagem, depois da derrota por 3 a 0 para o Coritiba, pela Copa do Brasil. Ao desembarcar, ontem, no Aeroporto Internacional Tom Jobim, sem mancar, o atacante deu sinais de que a cena que parecia repetição do pesadelo vivido por Neymar na Copa do Mundo não passou de um susto.

O destaque do time na sequência de vitórias no Campeonato Brasileiro será reavaliado, hoje, no Ninho do Urubu, para saber se embarca com o grupo rumo a Salvador. Domingo, o Rubro-Negro tentará, diante do Vitória, no Barradão, sua quarta vitória consecutiva na luta contra o rebaixamento. 

Eduardo da Silva pode encarar o VitóriaCarlos Moraes

“Quando o corpo esfriou, a dor ficou muito forte, mas amanheci bem melhor. Vamos ver o que vai dar no exame. Espero jogar domingo, mas vai depender das dores na sexta e sábado”, disse Eduardo da Silva, que explicou por que não deixou o campo imediatamente:

“Foi difícil aguentar até o fim do jogo. O Flamengo já tinha feito três substituições. Fiquei ali só para não ficar com um a menos.”

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Assim que deixou o campo do Couto Pereira, Eduardo da Silva ficou sob os cuidados do médico Márcio Tannure. Mesmo medicado, deixou o vestiário mancando para o ônibus. As dores se concentravam no quadril, consequência do golpe à la Zuñiga que levou na região sacroilíaca.
Quinta, pela manhã, ainda em Curitiba, o jogador deu sequência ao tratamento iniciado na véspera com o fisioterapeuta Fabiano Bastos.

Foi a primeira vez que Eduardo da Silva jogou por 90 minutos com a camisa do Flamengo e a segunda que começou como titular. Mas domingo, ele deve voltar para o banco. Ainda em busca da melhor forma física, o atacante tem rendido mais quando entra durante o jogo, com o adversário cansado.
O consolo da goleada sofrida para o Coritiba foi a volta de Paulinho, recuperado das dores na coxa direita. “A equipe do Coritiba impôs o ritmo deles e temos que ter consciência que não fomos bem. Precisamos esquecer o Coritiba e pensar somente no Vitória”, disse Paulinho.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia