Flamengo adota cautela, mas avisa: 'Estamos trabalhando pelo Armero'

Rodrigo Caetano e Alexandre Wrobel conversaram com sócio-torcedores e abordaram a possível contratação do lateral

Por jessica.rocha

Rio - Na noite da última quinta-feira, o diretor-executivo, Rodrigo Caetano, e o vice-presidente, Alexandre Wrobel, participaram de uma conversa na Gávea com os vencedores da ação Bate-Papo da Nação. No terraço da sede do Rubro-Negro, dezenas de torcedores puderam tirar suas dúvidas e fizeram perguntas sobre diversos temas relacionados à gestão do clube carioca.

Lateral-esquerdo da Colômbia%2C Armero está na mira do FlamengoReuters

Ao falar das contratações para o Campeonato Brasileiro, Rodrigo Caetano foi questionado sobre a vinda do lateral-esquerdo Armero que, atualmente, atua pelo Milan por empréstimo. O diretor-executivo foi otimista, mas preferiu não entrar em detalhes.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo 

"Estamos trabalhando pelo atleta, sim. Se as coisas correrem bem, as chances são boas. Temos até 16 de abril, mas só confirmo qualquer contratação quando o jogador fizer exame médico e estiver aqui dentro. A cautela é tudo em negociações", afirmou.

No bate-papo, Alexandre Wrobel comentou sobre a rixa do Flamengo com a Ferj, que vem ganhando novos capítulos no decorrer do Estadual: "É uma briga que vamos levar até o fim, não amolecemos. Não podemos simplesmente abandonar o Campeonato Carioca, temos compromissos com patrocinadores, sanções, punições, inclusive não poderíamos mais jogar o Brasileiro. Pensamos sim na criação de uma liga, mas nada concreto ainda".

Rodrigo Caetano e Wrobel posam ao lado de sócio-torcedor na GáveaDivulgação

O vice-presidente ainda falou dos planos da construção de um estádio, que será utilizado também para outras modalidades, mas ressaltou que a verdadeira casa do Rubro-Negro no futebol continuará sendo o Maracanã.

 "Da notícia que saiu recentemente, o que acontece é que queremos uma arena, sem um centavo de dinheiro público ou do Flamengo, só da iniciativa privada, para ser um ginásio para esportes coletivos (basquete, vôlei e futsal), para 3.500 lugares sentados. Como podem ser contra construir um ginásio para esportes coletivos na cidade olímpica? Não temos a estrutura que queremos, mas estão engessando o Flamengo. O que brigamos, há quase três anos, é para construir a Arena Mc Donald's, unicamente desportiva, sem custo nenhum para o estado nem para o Flamengo. Nada mais legítimo e razoável. Pela parte do futebol, temos a intenção de ter nosso estádio, para cerca de 20 mil pessoas, para jogos menores, que não brigue com o Maracanã. Entendemos que nossa casa é o Maracanã, o ideal era termos este estádio em outro formato", acrescentou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia