Os números não mentem: Flamengo faz campanha histórica no primeiro turno do Brasileiro

Rubro-Negro acumula números impressionantes de gols marcados; torcida faz sua parte e lota estádios

Por Yuri Eiras e Danillo Pedrosa*

Gabigol, Rafinha, Everton Ribeiro e Bruno Henrique: Mengão se mantém 100% nos jogos em casa no Brasileiro
Gabigol, Rafinha, Everton Ribeiro e Bruno Henrique: Mengão se mantém 100% nos jogos em casa no Brasileiro -
Rio - A campanha do Flamengo no Campeonato Brasileiro de 2019, além de garantir o título simbólico do primeiro turno, acumula recordes. Com 42 gols, o Rubro-Negro já é o melhor ataque da era dos pontos corridos, ao lado do Cruzeiro de 2013. Desses, 31 foram marcados por Gabigol, Arrascaeta e Bruno Henrique - só o trio fez mais gols que todos os outros 19 times da Série A. E a torcida, empolgada, faz sua parte. O Flamengo tem o melhor público da competição, com 50.693 presentes de média. Os números não mentem: já é uma campanha histórica.
"Essa competição não é corrida de velocidade, é de resistência. Todo campeonato longo você tem que fazer um planejamento. O grupo tem que estar equilibrado fisicamente, tem que cuidar do time para manter esse ritmo. Tem que procurar essa dosagem para levar até o fim na mesma batida, até porque o Flamengo tem a Libertadores, uma competição desgastante. Além do cansaço físico, tem o estresse emocional", comenta o Washington Rodrigues, o Apolinho, comentarista da Rádio Tupi e colunista do O DIA.
Se o Flamengo tem alcançado esses números é muto pelo trabalho do professor Jorge Jesus, ou Mister, como prefere ser chamado. O português tem 83,3% de aproveitamento nos 11 jogos em que comandou o time no Campeonato Brasileiro. Num deles, conseguiu outro feito, a maior goleada desta edição: 6 a 1 no Goiás - o Santos também fez 6 a 1 no time goiano.
Apolinho foi um dos que olhou com desconfiança a chegada de Jesus, em junho. Três meses depois, o futebol apresentado pelo time já o fez mudar radicalmente de ideia: para o radialista, este é o melhor Flamengo desde a época de Zico.
"Indiscutivelmente, da época do Zico para cá esse time é o melhor. A diretoria acertou nas contratações: os laterais (Rafinha e Filipe Luís), o Gerson, que é extraordinário, Bruno Henrique, outra figura exponencial, além do Gabigol. O grande problema para o Flamengo vai ser dosar essa batida até a ultima rodada", avalia o Velho Apolo.
"Fiz muitas críticas (à contratação do Jesus), achei que era desnecessário na época. Mas eu não discuto com resultado. Ele está me agradando plenamente agora. Tem que ver se vai manter essa pegada".

* Estagiário