Grupo pede expulsão de youtuber do quadro de sócios do Flamengo

Gabriel Reis, conhecido como Paparazzo Rubro-Negro, divulgou a informação de que Eduardo Bandeira de Mello fechou acordo para streamings com a TV Globo sem aprovação dos membros

Por Lucas Felbinger e Venê Casagrande

Sede do Flamengo, na Gávea
Sede do Flamengo, na Gávea -
Rio - Um grupo de 81 sócios do Flamengo assinou, nesta segunda-feira, uma representação contra Gabriel Reis, youtuber conhecido como Paparazzo Rubro-Negro. Eles pedem a saída dele do conselho e do quadro social do clube após acusações contra o ex-presidente Eduardo Bandeira de Mello em seu canal, que, segundo os sócios, não são verdadeiras.
Durante um debate com o jornalista Thiago Asmar, do canal "Pilhado", sobre a MP 984, Paparazzo divulgou em seu canal a informação de que Bandeira chegou a um acordo com a TV Globo pelos direitos de transmissão dos jogos do Flamengo pela Internet sem a aprovação dos membros do conselho. Segundo o grupo, o youtuber infringiu o artigo 52 do estatuto, que prevê punição a quem tornar público assuntos de caráter interno que provoquem prejuízos ao Flamengo.
A notícia dada por Paparazzo, de acordo com os sócios, passou a impressão de que o clube vive em meio a problemas políticos e acabou atraindo imensa curiosidade a respeito dos termos do contrato, além de prejudicar a imagem pública de Bandeira de Mello.
Agora, o documento será encaminhado ao Conselho Diretor do Flamengo, que decidirá sobre uma possível punição ao youtuber.
A reportagem entrou em contato com Gabriel Reis. O Youtuber disse que não estava sabendo da ação dos 81 sócios, mas garantiu que, caso seja comunicado, irá se defender.
"Nem fui eu quem falou dele. Pelo contrario. Eu ainda dei a versão dele e do Landim em primeira mão. Agora, o grupo dele se sentiu ofendido? Beleza. Entrar com pedido é direito de qualquer um", afirmou.

Comentários