Guilherme Kroll é o novo VP de esportes olímpicos do Flamengo
Guilherme Kroll é o novo VP de esportes olímpicos do FlamengoLéo Borges/Na Jogada
Por Venê Casagrande
Rio - Enquanto o Flamengo tenta manter a hegemonia dentro de campo, os bastidores da Gávea esquentaram nos últimos dias. Com a renúncia do vice-presidente de esportes olímpicos, Delano Franco, Rodolfo Landim nomeou Guilherme Kroll para a vaga deixada por Delano. A escolha do mandatário não caiu bem porque Kroll, na eleição de 2015, Eduardo Bandeira de Mello como vencedor, ele era candidato ao cargo que agora ocupa na chapa branca, de Cacau Cotta, atual diretor de Relações Externas da gestão Landim.
Em 2018, quando Landim se consagrou vencedor da eleição e se tornou presidente do Flamengo, Guilherme Kroll apoiou Marcelo Vargas, candidato da chapa branca. Na ocasião, Kroll adotou discurso agressivo contra a atual gestão e criticou a postura conservadora, no ponto de visto financeiro.
Publicidade
"Falavam para o mundo inteiro que o Flamengo pagava as dívidas ou fechava as portas. Eles afugentaram toda e qualquer pessoa que quisesse botar dinheiro no clube para transformar o clube em campeão. Quem quisesse associar sua marca com vitória. Então eles buscaram algumas pessoas para associar a imagem com austeridade, e não com vitória. A vitória vale infinitamente mais que isso. Então, todo aquele início daquela chapa azul, para mim, foi absolutamente medíocre, apesar de competente", disse Kroll em 2015, em entrevista ao Canal no Youtube Blog Ser Flamengo.
Já em 2018, em participação no canal do YouTube Flamengo Em Dia, Kroll citou Pelaipe, Mano Menezes e Luxemburgo para atacar a atual gestão.
Publicidade
"Pelaipe saiu do Flamengo dizendo que não dá pra trabalhar com essa diretoria. Mano Menezes saiu do Flamengo dizendo que não dá pra trabalhar com essa diretoria. Vanderlei Luxemburgo disse que não dá pra trabalhar com essa diretoria, que não sabem nada de futebol. Será que esses cascudos estão errados. Acho que tudo é um fracasso", atacou Krool na campanha de 2018".
A reportagem entrou em contato com Guilherme Kroll para ouvir o lado do novo vice-presidente de esportes olímpicos do Flamengo. Kroll explicou a mudança de pensamento em relação à atual gestão no dia em que Rodolfo Landi, foi eleito presidente no fim de 2018.
Publicidade
"O dia da eleição do Landim foi transformador na história do Flamengo. Finalmente nossa Nação passou a ter um estadista capaz de gerir com conceitos empresariais sem perder a noção sobre a importância da nossa história e a consciência do valor dos resultados esportivos. Nesse dia, qualquer oposição se tornou obsoleta e desnecessária. Quando vejo meus discursos anteriores sinto desconforto, apesar de que a realidade era outra. O Flamengo se tornou anti-depressivo. O Landim tem que prosseguir seu trabalho e deve ser aclamado por quem ama o Flamengo. Estou no Fla Raíz há 2 anos e me orgulho em ser um soldado de um grupo de sustentação. Sempre fui oposição a quem queria um Flamengo azul. Simples assim. Já ouvi que um dirigente, para servir ao Flamengo, deveria ter, no máximo 50 anos de idade. Penso diametralmente ao contrário. A sabedoria só vem junto com os cabelos brancos. Estamos muito bem servidos. Temos uma gestão que é referência para qualquer segmento do esporte brasileiro. O Landim é um estadista que o Brasil merece ter".
A escolha por Guilherme Kroll não caiu bem na Gávea. Grupos de oposição e até mesmo da base aliada criticaram a nomeação de Kroll ao cargo de vice-presidente de esportes olímpicos. Em entrevista ao jornalista Mauro Cezar, no site Uol, Gustavo Oliveira, atual VP de comunicação e marketing, defendeu a chegada do novo integrante da diretoria:
Publicidade
"O Kroll foi escolhido, entre outras, por ter sido ex-atleta, ex-diretor de basquete do Flamengo, por coordenar, até pouco tempo, um trabalho bem interessante na área de esportes olímpicos/ base em uma cidade do Estado do Rio de Janeiro, por ser um rubro-negro muito participativo no clube e nos estádios e arenas olímpicas, por ser querido e presente entre os sócios do clube, por ser um dos nomes indicados por importantes apoiadores da atual gestão e pela boa imagem que o Landim tem dele".