Fluminense não consegue certificado de clube formador da CBF e tenta regularizar situação

Lista divulgada pela CBF não conta com o Tricolor

Por Lance

CT da base do Fluminense, em Xerém
CT da base do Fluminense, em Xerém -
Rio - Visto como um dos setores mais importantes do Fluminense, Xerém não tem mais o "Certificado de Clube Formador" da CBF. Em lista atualizada divulgada nesta semana com a finalidade de estabelecer direitos e deveres dos times brasileiros nas categorias de base, o Tricolor não aparece na relação, já que o documento anterior venceu agora em setembro. O clube agora corre para regularizar a situação e tentar subir para a categoria A.


Como divulgado pelo site "Saudações Tricolores", o Fluminense já encaminhou um documento com mais de 900 páginas à Ferj para análise. O prazo de entrega se encerrou no dia 8, mas o clube garante que realizou a entrega ainda na semana passada. O time das Laranjeiras estava na categoria B, mas espera conseguir o certificado da A, dado para aqueles que preencherem requisitos comprovadamente acima das exigências mínimas.

Para obter este documento, os clubes precisam cumprir uma série de regras estabelecidas por lei. Após o incêndio no Ninho do Urubu, CT do Flamengo, que vitimou 10 jovens no ano passado, as regras ficaram ainda mais rígidas. Quem consegue esse certificado pode assinar contratos profissionais com atletas, preferência em renovações, garantia legal para elidir o aliciamento de terceiros e abandono "intencional" do atleta, além de participar da Série A do Brasileirão.

O Fluminense foi o primeiro grande do Rio de Janeiro a conseguir o documento, ainda em 2015. Antes dele, apenas o Nova Iguaçu já havia obtido.

Comentários