Werley  -  Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Werley Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Por O Dia

Rio - O ano de 2018 está apenas no seu quinto mês, mas politicamente pode ser considerado um dos mais agitados da história do Vasco. A última polêmica envolveu a invasão de São Januário na semana passada. Dentro de campo, a equipe se recuperou da goleada para o Cruzeiro e da eliminação na Libertadores, goleando o América-MG por 4 a 1. O zagueiro Werley afirmou que o elenco está blindado do que acontece fora das quatro linhas.

"O presidente foi no nosso lanche, na concentração, na sexta-feira. Cumprimentou todo mundo, desejou uma boa noite e que fizéssemos uma grande partida. Temos nos sentido resguardados por todos. Não nos falta nada", afirmou o defensor.

Na opinião do jogador, a pressão externa deve ser devolvida pelos atletas com boas atuações, assim como aconteceu no último sábado em São Januário.

"Sabemos que vai haver pressão. É inevitável. Você só vive tranquilo no futebol com vitórias. Na derrota não valemos nada. O que aconteceu na sexta-feira nos deixou chateados, mas nossos seguranças nos protegeram. Esse assunto (política) a gente nem toca. Falamos mais de jogo, de família", concluiu.

Você pode gostar