PSG sai em defesa de Neymar após episódio de racismo

Craque admite que perdeu a cabeça, mas também pede punição a González

Por IG - Esporte

Neymar diz ter sido vítima de racismo por parte de Álvaro González
Neymar diz ter sido vítima de racismo por parte de Álvaro González -

Neymar voltou a falar, na tarde de ontem, sobre o episódio de racismo que sofreu no último domingo. Em publicação no Instagram, ele amenizou o discurso e admitiu ter perdido a cabeça após perceber que a arbitragem não faria nada em relação ao zagueiro Álvaro González, que teria lhe chamado de "macaco". O PSG, porém, saiu em defesa de seu camisa 10 e divulgou nota oficial de apoio ao jogador.

A diretoria do clube ratificou que "apoia fortemente" o brasileiro e cobrou que a Liga Francesa investigue a denúncia feita por Neymar ainda no campo. O próprio jogador, que foi expulso e pode pegar de quatro a sete jogos de gancho, voltou a se manifestar nas redes sociais em seguida.

Em tom mais pacífico, indicou arrependimento pela agressão ao adversário, mas também pediu uma punição a González. "Nós que estamos envolvidos no entretenimento precisamos refletir. Uma ação levou a uma reação e chegou onde chegou. Aceito minha punição porque deveria ter seguido no caminho da disputa limpa do futebol. Espero, por outro lado, que o defensor também seja punido", postou Neymar.

O craque ainda falou de seu orgulho de ser negro e criticou o preconceito: "No nosso esporte, as agressões, insultos, palavrões são do jogo. Mas o preconceito e a intolerância são inaceitáveis. Eu sou negro, filho de negro, neto e bisneto de negro. Tenho orgulho e não me vejo diferente de ninguém. Queria que os responsáveis pelo jogo (árbitro, auxiliares) se posicionassem de modo imparcial e entendessem que não cabe tal atitude preconceituosa".

Comentários