Além do fechamento às 18h, bares e restaurantes não podem ter música ao vivo
Além do fechamento às 18h, bares e restaurantes não podem ter música ao vivoImagem Internet
Por O Dia
Niterói - As medidas restritivas decretadas na semana passada pelo prefeito de Niterói, Axel Grael, estão mantidas até o dia 21 de março. Ao contrário do município do Rio, que hoje estendeu o horário de bares e restaurantes até as 21h, Niterói manteve o fechamento às 18h. Segundo Grael, a prefeitura “não está dizendo que eles são culpados pela Covid, mas é importante a medida para evitar que Niterói chegue à situação que outras cidades estão passando”.

A flexibilização esperada para hoje pelos comerciantes não ocorreu porque, segundo o secretário de Saúde, Rodrigo Oliveira, “infelizmente o número de internações (de casos de Covid) tem aumentado muito nos últimos dez dias”. Relatou que no Hospital Oceânico, exclusivo para o tratamento da doença em Niterói, a ocupação de leitos passou de 63 para 93 pessoas internadas, sem considerar o número de altas no mesmo período. Acrescentou que as restrições decretadas pelo prefeito são necessárias para evitar um colapso na rede de saúde do município, como já está ocorrendo em muitas cidades do país.

Os quiosques da orla ficam fechados. Os shoppings e centros comerciais podem abrir das 12h às 22h, enquanto o comércio de rua e ambulantes têm o horário limitado das 10h às 19h. A circulação de pessoas está proibida nos espaços públicos das 23h às 5h. As praias devem permanecer fechadas para a prática de esporte e ginástica coletivos.

VACINA PARA MAIORES DE 75 ANOS
Com as 5.620 novas doses de vacina recebidas por Niterói, ontem, Rodrigo Oliveira disse que a imunização dos idosos vai prosseguir até a sexta-feira da semana que vem. O calendário é o seguinte: dia 15, pessoas acima de 77 anos: dias 16 e 17, 76 anos: e dias 18 e 19, 75 anos.

De acordo com os indicadores da Covid, Niterói está no estágio Amarelo 2, de alerta máximo. Caso esse indicador suba para o estágio Laranja, a prefeitura vai decidir por medidas ainda mais restritivas do que as atualmente em vigor, alertou o secretário Rodrigo Oliveira.

FacebookTwitterCompartilhar