Itaguaí: Ônibus cai de viaduto e deixa pelo menos seis mortos

Coletivo despencou de uma altura entre seis e oito metros. Motorista está entre as vítimas fatais

Por O Dia

Rio - Quatro meses após um ônibus despencar de um viaduto em Bonsucesso, a história praticamente se repete. Seis passageiros morreram e 20 ficaram feridos, por volta das 17h30 desta quarta-feira, quando um ônibus da Viação Itaguaí despencou de altura de oito metros do Viaduto Tobogã, no Centro de Itaguaí, na Baixada.

Entre os mortos está o motorista Carlos Alberto Oliveira da Silva, 39 anos. Testemunhas contaram que ele dirigia em alta velocidade e perdeu o controle do veículo. No entanto, o delegado da 50ª DP (Itaguaí), Alexandre Gusman, informou que falar em imperícia dele seria prematuro.

A tragédia fez muita gente se desesperar e chorar. Uma das cenas mais chocantes foi a retirada do corpo do motorista das ferragens. Foi necessário um guindaste levantar o veículo para retirá-lo.

Ônibus cai de viaduto e deixa pelo menos seis mortosCarlos Roberto / Jornal Atual / Agência O Dia


“Vamos aguardar o resultado da perícia que sai em 30 dias”, argumentou Gusman. No viaduto há marca de 100 metros de frenagem, o que indica que Carlos tentou parar o ônibus. “Destruiu parte de uma igreja evangélica que estava vazia. A tragédia poderia ter sido pior”, avaliou o coronel do Corpo de Bombeiros José Sant’ana Mateus, responsável pelo trabalho de socorro que mobilizou 45 militares, de quatro quartéis e nove ambulâncias.

Durante o salvamento, outro susto: o fotógrafo independente Sidnei Perrier, que registrava o acidente de cima do viaduto, acabou caindo de uma altura de quase 10 metros. Socorrido no Hospital Pedro II, ele não corre risco de morrer.

Há um mês, a empresa responsável pelo coletivo, que fazia a linha Centro-Coroa Grande, foi fiscalizada pela prefeitura, a pedido Secretaria Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor. “Não encontramos irregularidades na empresa que tem 20 ônibus. Mas, há uma semana, um deles foi apreendido por documentação irregular”, afirmou o secretário municipal de Segurança e Trânsito de Itaguaí, Alex Lucena.

Segundo ele, o veículo acidentado estava com a documentação em dia. “Falaram que o motorista estava em alta velocidade. Mas temos que aguardar a investigação da Polícia Civil”, ressaltou Lucena. Os feridos foram levados para os hospitais Pedro II, em Santa Cruz, e São Francisco Xavier, em Itaguaí, e para UPA do município.

Acidente de ônibus em Itaguaí deixa mortos e feridosCarlos Roberto / Jornal Atual / Agência O Dia

Acidente destruiu telhado de igreja pouco antes de culto

Emocionado, o pastor Vivaldo Januário de Souza, de 57 anos, da Igreja Evangélica Pentecostal Vale da Bênção, contou que por pouco a tragédia não foi maior. O ônibus caiu sobre parte do telhado, de muro e da porta da frente do templo, que fica ao lado do viaduto e onde haveria um culto às 18h, com pelo menos 30 fiéis.

“Graças a Deus a igreja estava vazia, e eu me encontrava nos fundos, preparando a aparelhagem de som para a celebração. Não posso nem imaginar se o local estivesse cheio de fiéis”, comentou Vivaldo.

Faxineira da igreja, Nadir Barcelos, 74, se feriu, mas sem gravidade. “Foi assustador o estrondo. Tentei correr, mas parte da porta caiu sobre minhas pernas”, contou Nadir, que levou apenas alguns pontos numa das pernas.

Além de Nadir, Vivaldo disse ter ajudado a socorrer pelo menos seis vítimas. “Enquanto ajudava, eu ligava para os bombeiros e para a PM. Havia várias crianças e idosos. Os gritos de desespero não me saem da cabeça”, ressaltou o pastor.

Segundo Vivaldo, testemunhas contaram que o ônibus estava em alta velocidade. “Motoristas sempre abusaram nesse trecho. Semana passada teve outro acidente próximo ao local.”

Na Av. Brasil, nove morreram em abril

O acidente da tarde de ontem em Itaguaí remete imediatamente à tragédia ocorrida no dia 2 de abril, em Bonsucesso, quando um ônibus da linha 328 (Castelo-Bananal) caiu do Viaduto Brigadeiro Trompowski, num acesso à Avenida Brasil, matando nove passageiros e deixando seis gravemente feridos.

O motorista o ônibus, Andre Luis da Silva Oliveira, de 33 anos, e o estudante universitário Rodrigo dos Santos Freire, de 25, foram indiciados, mas ainda não houve julgamento. No início do mês passado, o caso deixou o Tribunal do Júri e foi encaminhado a uma vara criminal comum pelo juiz Murilo Kieling.

Rodrigo, que teria agredido Andre Luiz por este ter se recusado a parar num ponto de ônibus na saída da Ilha do Governador, responderá por sete crimes de lesão corporal qualificada, sendo seis graves e uma gravíssima, além de nove crimes por lesão corporal seguida de morte.

Já Andre Luiz, que segundo passageiros teria reagido às agressões de Rodrigo, foi denunciado por atentado contra a segurança do transporte viário, por ter exposto ao perigo passageiros, motoristas e pedestres.

O veículo tinha 59 multas aplicadas pelos radares da Prefeitura do Rio.

Últimas de Rio De Janeiro