Jaiminho, um dos personagens mais curiosos do Rio, é enterrado

Mais famoso papagaio de pirata do Brasil é sepultado duas vezes

Por thiago.antunes

Rio - O Rio de Janeiro se despediu nesta sexta-feira de um de seus personagens mais curiosos: Jaime Dias Sabino, o Jaiminho, de 84 anos e que ficou conhecido como o maior papagaio de pirata do Brasil. Somente a enterros, de famosos e anônimos, ele foi a 1.153, de Getúlio Vargas a Oscar Niemeyer. E em todos apareceu em reportagens de TV.

Jaiminho participou, nesta sexta-feira, de seu último funeral: o dele próprio. E que era aguardado com ansiedade, segundo parentes e amigos. Tanto que só dormia de terno e gravata (tinha cerca de 200) para não dar trabalho aos coveiros caso morresse subitamente. Mas não foi o que aconteceu. O papagaio, como se apresentava, estava internado havia 45 dias e morreu devido a complicações sofridas após um infarto.

Ao lado do corpo, amigos inseparáveis que o acompanhavam em todos os funerais há mais de uma década. Luciano, Nil, Edson e Oséas estavam tristes. Jaiminho era o grande ídolo do quarteto. "Ele era o presidente do nosso sindicato. O Sindicato Clandestino dos Papagaios de Pirata", contou Nil Ramos Soares, 68 anos, seu sucessor na hierarquia da confraria fictícia.

Enterro de Jaiminho%2C o papagaio de pirata mais famoso do Brasil%2C realizado no cemitério do Caju. Outros papagaios famosos compareceram ao enterroFernando Souza / Agência O Dia

Funcionário da Prefeitura de Nilópolis havia décadas, onde ocupava o cargo de Assessor Especial Para Assuntos Externos, Jaiminho coleciava reportagens e casos curiosíssimos. Em 1989, no enterro da atriz Dina Sfat, tropeçou a caiu dentro da cova levando junto o futuro governador Marcello Alencar. Em 2003, teve o mesmo destino no funeral do ator Jorge Lafond,
após ser empurrado por um fã do artista.

"Tem gente que gosta de praia, outros de samba ou futebol. O Jaiminho gostava de eventos, de estar perto de gente famosa", conta o documentarista Alex Teixeira, que está prestes a concluir um documentário sobre o papagaio.

Jaime Sabino%2C o Jaiminho%2C era famoso por frequentar enterros de personalidades e aparecer em programas de TVJoão Laet / Agência O Dia

Parentes e amigos de Jaiminho misturavam a tristeza pela perda com uma dose de alívio. O presidente do Sindicato dos Papagaios de Pirata tinha o sonho de assistir ao próprio enterro. Certamente não iria gostar. Apesar da presença da imprensa, apenas 37 pessoas acompanharam o cortejo. Não havia outros papagaios a não ser seus discípulos.

Mas não foi um funeral como outro qualquer. Jamais seria. Após depositarem o corpo de Jaiminho numa das gavetas mortuárias do cemitério do Caju, os coveiros perceberam que haviam errado o local. Resultado: tiveram de enterrá-lo novamente. "Ficou bom para ele. Gostava tanto disso que acabou sendo enterrado duas vezes", disse um dos presentes.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia