Lupi, o cortejado

Assediado por pré-candidatos ao governo em busca do apoio do PDT, presidente do partido impõe condições

Por thiago.antunes

Rio - Assediado por pré-candidatos ao governo em busca do apoio do PDT, Carlos Lupi, presidente do partido, impõe condições. Afirma que a decisão vai depender das pesquisas e da possibilidade de indicar um correligionário para vice-governador ou para a disputa do Senado.

Segundo Lupi, Sérgio Cabral disse que só em março poderá responder à reivindicação. Já Lindbergh Farias (PT) se mostrou menos reticente, mas ressalvou que tudo dependerá da aliança nacional. O pedetista revela que Marcelo Crivella (PRB) lhe telefona quase todos os dias.

Sem pressa

Lupi ressalta que a decisão virá em 2014, mas diz que os deputados estaduais do partido preferem ficar com Pezão (o PDT participa do governo Cabral). Prefeito de São João de Meriti, o pedetista Sandro Matos também quer se candidatar ao Palácio Guanabara.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia