Responsável por anúncio racista em site é do Rio

Internauta colocou post para vender negros na Internet. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil e pelo Ministério Público

Por tamyres.matos

Rio - O autor de uma postagem que anunciava a venda de pessoas negras a R$ 1 no site Mercado Livre é do Rio de Janeiro. A informação foi confirmada ontem pela Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Na segunda-feira, os dados do cadastro e de acesso do internauta foram encaminhados ao Ministério Público (MP).

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) da Polícia Civil, que apura o crime de incitação ao racismo, mas o MP não descarta abrir um inquérito paralelo.

A possibilidade está sendo analisada pela 26ª Promotoria de Investigação Penal (PIP) desde a semana passada. Segundo o MP, a promotoria já recebeu outras denúncias de postagens racistas no site. O autor do anúncio pode ser enquadrado no Artigo 20 da Lei 7.716, que prevê multa e pena de até cinco anos de prisão para quem praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

O caso repercutiu nas redes sociais há dez dias, quando internautas divulgaram o fato. Segundo os responsáveis pelo site de vendas, o conteúdo foi removido no dia seguinte, após alerta feito pelos próprios usuários. Em comunicado na semana passada, o site esclareceu que há um botão para que os internautas avisem quando há conteúdo inadequado.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia